Acesse sua conta

Sou assinante, mas ainda não possuo acesso digital

Solicite sua senha de acesso pelo telefone 27 3321.8000, ou informe seu CPF e email cadastrados.


TROCAR SENHA


Envie sua mensagem

Envie sua sugestão, crítica ou reclamação.
Estamos prontos para ouvir o que você tem a dizer.


SEU NOME
SEU E-MAIL
SEU TELEFONE
MENSAGEM




Artigo revela que um chefe ruim pode adoecer os funcionários

     

12/01/2016 - 11h55 - Atualizado em 12/01/2016 - 12h05

Para 75% dos americanos, chefe é maior causa de estresse no trabalho

Um artigo do Linkedin publicado pela revista Quartz revela que trabalhar infeliz com o chefe pode trazer efeitos tão ruins para a saúde quanto fumar passivamente. A leitura ainda aponta que quanto mais tempo você permanece em um emprego trabalhando para alguém que te estressa, maior é o dano a sua saúde física e mental.
De acordo com a Quartz, o dados da Associação de Psicologia dos Estados Unidos apontam que 75% dos trabalhadores americanos consideram seus chefes a maior causa de estresse no trabalho. Porém, 59% deles não sairia do emprego.
O números provam que as pessoas tem a capacidade de se acomodar em seus empregos, mesmo infelizes, o que dificulta ainda mais o processo do pedido de demissão e a busca por um ambiente de trabalho mais sadio.
Pior que cigarro
Foto: Reprodução

Miranda Priestly, do filme "O Diabo Veste Prada" é a chefe mais temida dos cinemas

Pesquisadores da Harvard Business School e da Universidade Stanford, nos EUA, reuniram dados de mais de 200 estudos e descobriram que estresses comuns no trabalho podem ter efeitos tão nocivos quanto a exposição a uma quantidade considerável de fumaça do cigarro alheio.
A situação motivo de maior estresse no trabalho, que é o risco de perder o emprego, faz com que as pessoas tenham 50% mais chances de passar por problemas de saúde. Já um cargo que exige mais do que se tem capacidade pode oferecer 35% mais riscos de algum problema médico diagnosticado.
Sobrevivendo
Em alguns casos os problemas com os chefes podem ser apenas uma questão de afinidade. Entretanto, existem sim muitos chefes como Miranda Priestly (o terror de "O Diabo Veste Prada") na vida real.
Mas, como reconhecer se você se encaixa na primeira ou na segunda questão?
Chefes ruins são excessivamente agressivos, narcisistas e até violentos. Eles costumam dizer frases como “Sempre fizemos desta forma”, “Você já deveria estar satisfeito só por ter um emprego” e “Esse lugar vira uma bagunça quando eu não estou aqui”.
O que deve ser pensado é que com as dificuldades do atual mercado de trabalho, sair do emprego e recomeçar não é algo tão fácil. Com isso vem a acomodação e a motivação para fazer um bom trabalho vai embora. Existem algumas estratégias simples que podem ajudar a passar por esse momento de crise profissional:
1- Faça uma lista com os objetivos do dia, riscando quando concluir cada uma deles. Essa sensação de ter terminado algo pode te ajudar a seguir em frente.
2- Desligue-se do e-mail e do telefone aos finais de semana. Isso pode ajudar a recarregar a bateria para o trabalho, mesmo que por pouco tempo.


Assine A GAZETA, fique bem informado e participe do Clube do Assinante

Clique e assine: A Gazeta - Impressa ou Digital


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE


MAIS LIDAS

Notícias >

PUBLICIDADE

Gazeta Online, 2013 - Todos os direitos reservados.