Notícia

Médicos alertam para epidemia de miopia

Estudos apontam que metade da população vai ser míope em 2050

Lentes de contato
Lentes de contato
Foto: Reprodução

Você enxerga bem de longe? Se não, saiba que há milhões de pessoas também com esse problema e mais: os míopes serão metade da população mundial em 2050. É a estimativa da Academia Americana de Oftalmologia.

No Dia Mundial da Saúde Ocular, comemorada hoje, vale o alerta. O estilo de vida atual, com uso exagerado de tecnologias, pode estar influenciando tanto no aumento nos casos de miopia quanto na evolução da própria doença.

“Claro que a miopia tem um componente genético. Mas estão crescendo os casos de pessoas sem herança genética com miopia”, afirma o oftalmologista Sebastião Leonardo da Silveira.

Segundo ele, há evidências científicas de que a utilização massiva de celulares, tablets, computadores e videogames está afetando a saúde ocular das pessoas. “As pessoas usam o aparelho muito próximo para ler, fazendo o que chamamos de esforço de acomodação. No olho, há uma musculatura que faz como que um zoom, e o esforço repetitivo, o dia inteiro às vezes, faz com que, ao longo do tempo, surja o problema da miopia”, explica o médico.

O oftalmologista Hélio Angotti Neto considera o alerta importante, mas faz uma ponderação: “Há dois fatores que podem ter contribuído para o aumento dos casos de miopia, além das mudanças de estilo de vida: o diagnóstico mais fidedigno dos casos já existentes e que antes não eram relatados - o que acontece com o maior acesso da população mundial à medicina; e o envelhecimento progressivo da população, que aumenta a prevalência de forma geral”, aponta.

Miopia alta

Os míopes podem estar ficando mais míopes. O documento da Academia Americana de Oftalmologia afirma que 10% da população mundial deverão ter alta miopia, condição que abre porta para graves doenças oculares. “O esforço visual repetitivo por causa da tecnologia está interferindo na velocidade com que o grau de miopia muda”, afirma Silveira.

Há ainda outro problema recorrente nos consultórios que é a prova dos malefícios desse uso excessivo de aparelhos eletrônicos: a síndrome do olho seco. “Ele ocorre porque a pessoa, na frente da tela, tende a reduzir a frequência de piscadas. Isso vai fazendo com que a superfície do olho fique ressecada. Para esses casos, são indicados colírios lubrificantes”, cita Sebastião Silveira.

Prevenção

Para tentar prevenir esses males, os médicos orientam as pessoas a manterem as telas de computador e celular, por exemplo, a pelo menos um braço de distância do rosto. Também é importante fazer pausas após 40 minutos seguidos de uso da tecnologia para descansar a vista.

Outra dica é estimular as crianças a praticar atividades ao ar livre, sob a luz do sol, de preferência, para que a vista possa alcançar objetos à distância.

 Visão X tecnologia

Pausa para descanso - Não se deve prolongar a permanência em frente à tela do celular, computador ou tablet. Durante o uso, a cada 40 minutos, pare por pelo menos 10 minutos para relaxar a vista. Olhe para outras direções

Tela próxima - Mantenha a tela a um braço de distância. Evite aproximar demais o celular para ler. Isso aumenta o desconforto e força mais a musculatura dos olhos

Luz natural - Permita que as crianças passem pelo menos duas horas por dia em ambiente externo, ao sol, de preferência. Isso vai permitir que a vista dê foco em objetos distantes, ajudando a compensar a vista

Luz azul - As telas de computador e celular emitem uma luz azul que é prejudicial à visão. Há lentes de óculos que vêm com película anti-reflexo e protegem dos prejuízos dessa luz azul, aliviando o cansaço que ela provoca nos olhos