Notícia

Motoristas de aplicativos defendem cadastro mais minucioso

Neste último final de semana mais um condutor foi assassinado na Grande Vitória

Casos de violência contra motoristas de transporte de aplicativos e de táxi voltaram ao debate depois de graves ocorrências envolvendo profissionais do setor. Em fevereiro deste ano, Gilsso Matos Pereira foi assassinado em Vila Velha com um tiro. No último domingo (11), outro motorista foi assassinado. José Augusto Zatta foi morto com um tiro, na Praia do Canto, em Vitória. O cenário de insegurança assusta os representantes dos condutores. O vice-presidente da associação dos Motoristas de Aplicativos do Espírito Santo (Amapes), Rodrigo Motta, pede por um cadastro mais minucioso de passageiros. Já o presidente do sindicato dos Taxistas do Espírito Santo, João Fidêncio, acredita que somente após o endurecimento das penas para criminosos que esta violência terá fim. O diretor adjunto de Comunicação Social da Polícia Militar, tenente-coronel Marcelo Muniz, fala das abordagens policiais.

Ver comentários