Notícia

Ladrões roubam até 40 veículos em um fim de semana, diz sindicato

Média de roubos é referente a todo Estado, mas Grande Vitória é cenário para 90% dessas ocorrências, de acordo com a entidade que representa os policiais civis. Sindicato ainda reclama de defasagem de policiais

Casos recentes foram registrados na Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos, em Vitória
Casos recentes foram registrados na Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos, em Vitória
Foto: Fábio Vicentini A Gazeta

O número de roubos e furtos de veículos no Espírito Santo chega a 40 durante os fins de semanas e feriados. A informação é do presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sindipol), Jorge Emílio Leal. De acordo com o sindicato, de segunda a sexta-feira são roubados, em média, 10 veículos por dia, sendo a maior parte no período noturno. Pelas estimativas, noventa por cento dos crimes são registradas na Grande Vitória.

Segundo Jorge Emílio, a quantidade dessas ocorrências aumentou após a crise de segurança vivida pelo Espírito Santo no último mês de fevereiro. “Os furtos e roubos de veículos aumentaram consideravelmente no Espírito Santo a partir da crise instalada na Polícia Militar. Esses crimes tiveram um grande pico, principalmente na Grande Vitória. Isso também aconteceu no interior, mas em um percentual menor”, disse à Rádio CBN.

Ainda segundo o presidente do Sindipol, não existem dados exatos sobre os crimes porque há defasagem no efetivo da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV), o que dificulta o levantamento estatístico.

“O que contribui para a falta de investigação desses crimes é a deficiência de efetivo de policiais civis na DFRV. Ela tem que fazer perícia, vistoria, investigação, gerar boletim de ocorrência. Então, é muito trabalho e pouca gente”, declarou.

POLÍCIA CIVIL

Por meio de nota, a Polícia Civil informou que a equipe da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos ainda está em fase de consolidação dos dados e que, assim que forem fechados, eles serão repassados para a imprensa por meio de um comunicado previamente feito pela assessoria de imprensa da Polícia Civil.

Em relação ao efetivo da instituição, a nota informa que ele não é o ideal não apenas para o Estado, mas para todo o Brasil. No entanto, a Polícia Civil afirmou que tem trabalhado para solucionar todos os casos que, com a paralisação da Polícia Militar, tiveram aumento. Por fim, a nota destaca que, aos poucos, toda a situação tem voltado à normalidade e com ela a redução dos crimes que aumentaram no período.

ATUALIZAÇÃO

Após o fechamento da reportagem, a Secretaria de Estado de Segurança Pública se pronunciou mais uma vez, por meio de uma nova nota, leia na íntegra:

A Polícia Civil tem atuado com foco na prevenção e nas investigação das ocorrências e informa que tem desenvolvido ações sistemáticas para identificar os autores dos crimes e recuperar os veículos. A Delegacia de Furto e Roubo de Veículos conta com três delegados e equipes completas destinadas a atender a população.

O trabalho integrado com a Polícia Militar tem apresentado bons resultados e o número de crimes tende a baixar. Além disso, a Policia Civil tem trabalhado com planejamento e direcionamento de efetivo para as unidades de maior demanda.