Notícia

Aprovados em concurso público não são convocados para assumir vagas

Concurso realizado para cadastro de reserva foi realizado em 2015. Sindicato dos Bancários defende convocação pois Banestes estaria com defasagem de profissionais

Foto: Divulgação Banestes

Aprovados para cadastro de reserva no concurso público realizado pelo Banestes em 2015 reclamam que a instituição tem convocado poucas pessoas para assumir funções no banco. De acordo com o Sindicato dos Bancários do Espírito Santo (Sindibancários), o Banestes precisa contratar mais profissionais porque servidores que atuam no banco estão sobrecarregados e há defasagem de profissionais.

Um candidato que está no cadastro de reserva para Vitória, que não quis se identificar, reclama que o Banestes não tem convocado os aprovados, mesmo com a saída de outros servidores por aposentadorias e promoções. Esse argumento é utilizado também pelo Sindibancários. Segundo o presidente do sindicato, Jonas Freire, desde dezembro de 2016 há um déficit de pelo menos 100 servidores por conta de aposentadorias.

De acordo com Jonas Freire, na negociação salarial de 2016, o banco se comprometeu em convocar integrantes do cadastro de reserva do concurso de 2015 para reduzir a sobrecarga de trabalho dos atuais servidores.

“A necessidade é grande. Nós temos adoecimentos, temos agências que vistamos com pessoas afastadas, adoecidas por excesso de trabalho. Para nós, é importante a convocação, não só pela questão da geração de empregos, mas também para um melhor atendimento do banco e por melhores condições de trabalho para os bancários”, apontou.

Mesmo com o pedido de candidatos aprovados em concurso para cadastro de reserva e do próprio sindicato, fica a dúvida sobre a obrigatoriedade da convocação. De acordo com o advogado especialista em concursos públicos Alessandro Dantas, a princípio, não existe essa obrigatoriedade. No entanto, há circunstâncias em a convocação se torna obrigação.

“O grande problema é que, na prática, alguns concursos são lançados só com cadastro de reserva ou com vagas simbólicas e a necessidade de servidores do órgão é suprida com contratações precárias, como colocar estagiários para desenvolver atividades que seriam da competência da pessoa concursada ou colocam servidores que já trabalham no órgão atuando em desvio de função”, explicou.

Há relatos de que situações como essas estariam acontecendo no Banestes. Nesses casos, Alessandro Dantas indica que os concursados devem acionar a Justiça para tomarem posse no cargo público. O polêmico concurso para o Banestes vencerá no dia 19 de agosto. O banco tem até esta data para convocar os aprovados em cadastro de reserva. 

Por meio de nota, o banco alegou que a realização do concurso público 001/2015 destinou-se para formação de cadastro de reserva e que o Banestes tem feito convocações de acordo com a necessidade do seu quadro de funcionários.

De acordo com o banco, até o momento, foram convocados 202 candidatos, sendo 174 de ampla concorrência e 28 Pessoas com Deficiência. A convocação desses aprovados está distribuída em 133 técnicos bancários, 31 analistas de tecnologia da informação de desenvolvimento de sistemas, 25 analistas econômico-financeiros e 13 analistas de tecnologia da informação de suporte e infraestrutura.

Ver comentários