Notícia

Leitura pode dar ao preso 48 dias a menos de prisão por ano

Detento terá de comprovar a leitura por meio de resumo, para quem tem ensino fundamental, ou uma resenha, nos casos dos presos com nível médio

A penitenciária feminina de Cariacica é uma das 35 unidades prisionais do Estado
A penitenciária feminina de Cariacica é uma das 35 unidades prisionais do Estado
Foto: Divulgação/Sejus

A partir do mês de agosto presos no Espírito Santo vão ter a oportunidade de reduzir o tempo da pena com a leitura. A ideia é criar um ambiente de ressocialização dentro das penitenciárias do Estado. Por enquanto, apenas um projeto piloto será formalizado com o Governo do Estado, que após meses de teste pode ser adotado em todo o sistema carcerário no Espírito Santo.

A ideia é que cada livro lido dê uma redução de quatro dias de pena para cada preso, que poderá ler no máximo 12 obras por ano com o benefício da remissão. O detento precisa comprovar a leitura por meio de resumo, para quem tem ensino fundamental, ou uma resenha, nos casos dos presos com nível médio. O material é analisado por professores e quem tiver aproveitamento acima de 60% recebe o benefício da redução da pena.

Segundo a coordenadora do Núcleo de Execução Penal da Defensoria Pública Estadual, Roberta Ferraz, a ideia é criar um ambiente de ressocialização que hoje é deficitário. “Nós trabalhamos em um sistema que visa o retorno do interno para a sociedade e em um sistema que não consegue conceder trabalho e estudo para todos. A ideia é suprir a ausência de trabalho e estudo dentro das unidades prisionais”, disse.

O projeto piloto deve começar no Complexo do Xuri, em Vila Velha, como uma turma inicial de apenas 20 alunos, mas o local ainda não é certo. Serão livros específicos para o trabalho com os detentos, como "O Menino do Pijama Listrado" e “O Pequeno Príncipe”.

DOAÇÕES

A população pode participar, doando livros para o projeto. As doações podem acontecer na sede da Defensoria Pública, no Centro de Vitória, na faculdade Faesa, na Avenida Vitória, e no Núcleo de Execução Penal da Defensoria Pública, em Vila Velha.

LIVROS PROCURADOS

“O Guardião”, de Nicholas Sparks, “O Jogo do Anjo”, de Carlos Ruiz Zafon, e “o Fio das Miçangas”, de Mia Couto, e dos já citados "O Menino do Pijama Listrado", do autor Jhon Boyne, e “O Pequeno Príncipe”, de Antonie de Saint-Exupery