Notícia

Vitória estuda liberar uso de banheiros em quiosques de Camburi

Em contratos de concessão anteriores os banheiros eram utilizados somente por clientes dos estabelecimentos

Após definir que os bares premiados do festival Roda de Boteco vão assumir os sete quiosques livres na Praia de Camburi durante o verão, a prefeitura de Vitória agora estuda se os banheiros desses espaços serão liberados ao público em geral, com uma cobrança mínima para manutenção. Nos contratos antigos, apenas clientes podiam usar os banheiros dos quiosques, segundo a prefeitura, e os banhistas e pessoas em geral que passavam pelo calçadão ficavam sem opção.

A definição depende de um acordo com o Sindicato dos Bares e Restaurantes do Espírito Santo (Sindbares-ES), que vai organizar um festival gastronômico com os bares escolhidos. Segundo o prefeito em exercício de Vitória, Sérgio Sá (PSB), outra opção estudada, mesmo com a liberação dos banheiros, é a colocação de banheiros hidráulicos ao longo da orla. Essas unidades são visualmente semelhantes aos banheiros químicos.

“Agora nós queremos oferecer essa estrutura para quem utiliza o calçadão. Tem pessoas caminhando e precisando usar o banheiro. Vamos discutir primeiro se vamos abrir e depois considerar a possibilidade de banheiros hidráulicos”, disse.

Hoje todos os quiosques da Praia de Camburi estão desocupados. Alguns banheiros foram arrombados e estão totalmente sujos e com forte odor. A prefeitura garante que reparos serão feitos até dezembro.

Quem passa pela praia e hoje não tem opção concorda que banheiros precisam ser disponibilizados para os turistas, como o aposentado Sérgio Entringer, de 59 anos. “É uma necessidade para atender turistas. Nem devia se discutir isso. Mesmo pagando um valor simbólico acho justo, porque a manutenção tem custo”, ponderou.

Após o período do verão, a prefeitura vai exigir que todos os banheiros fiquem disponibilizados ao público, também com um pagamento de um valor mínimo para uso. O aluguel, que antes passava de R$ 10 mil, será de R$ 1.750,00 para os quiosqueiros.

Até o final de fevereiro, quando acaba o festival gastronômico, seis quiosques serão ocupados efetivamente pelos bares. Um outro terá atividades voltadas para entretenimento, sem foco voltado para a gastronomia. A definição será feita pelo Sindbares-ES.

Ver comentários