Notícia

Presidente da Desportiva era peça central no esquema do tráfico

Além de Edney Costa, outro preso que já foi identificado é Elio Rodrigues, que também responde a processo por participação no caso do helicóptero de cocaína, ocorrido em 2013, em um sítio de Brejetuba

Edney Costa, presidente da Desportiva, preso por tráfico de drogas
Edney Costa, presidente da Desportiva, preso por tráfico de drogas
Foto: Eduardo Dias

O presidente eleito da Desportiva Ferroviária, Edney Costa, era uma das peças centrais de uma quadrilha especializada em tráfico de drogas. O grupo de sete pessoas foi preso na tarde desta quarta-feira (6), em Vila Velha, com 253 quilos de cocaína e os delegados da Polícia Federal deram detalhes sobre o esquema de operação do grupo.

De acordo com as investigações, o presidente eleito da Desportiva, que é portuário, atuava como intermediário entre os donos da droga e funcionários do Porto de Vila Velha, organizando a logística do grupo. A cocaína apreendida estava avaliada em 17 milhões de dólares e tinha a Espanha como destino.

Leia também

O contêiner adulterado pela quadrilha saiu do Recinto Especial para Despacho Aduaneiro de Exportação (Redex), no bairro Nossa Senhora da Penha, em Vila Velha, em direção ao Porto do mesmo município. Foi no meio desse trajeto que o grupo aproveitou para esconder a droga dentro do contêiner.

De acordo com Leonardo Damasceno, chefe da Delegacia de Repressão a Entorpecentes, o grupo rompeu o lacre original do contêiner - colocado pela Receita Federal - camuflou a droga junto com a carga de milho e fechou novamente o contêiner com um lacre clonado. O grupo, que estava sendo investigado desde o último dia 29 de novembro, foi preso pela Polícia Federal assim que saiu do galpão.

"A carga de milho ocupa grande volume, são muitos sacos, então eles misturam dentro dos sacos e não fica perceptível para o Scanner, só com olhar muito atento. Eles precisam saber o destino do contêiner porque o comprador da droga na Europa precisa saber o porto de destino para conseguir fazer um esquema parecido lá de ruptura de lacre e retirada da cocaína, antes da entrega da mercadoria ao comprador. Essa é principal modalidade adotada por essas quadrilhas hoje. É sempre feito com trabalhadores do sistema portuário", concluiu.

Além de Edney Costa, outro preso que já foi identificado é Elio Rodrigues, que também responde a processo por participação no caso do helicóptero de cocaína, ocorrido em 2013, em um sítio de Brejetuba. Naquela época, a Polícia Federal encontrou 445 kg de cocaína no helicóptero.

Em nota, a Desportiva informou Edney Costa foi suspenso das atividades do clube, até que o caso seja esclarecido. Uma reunião entre a diretoria e o Conselho Deliberativo do clube será convocada para discutir a questão, tomar medidas cabíveis e avaliar a possibilidade de novas eleições. O futebol profissional segue em atividade.

 

 

Ver comentários