Notícia

Quiosques da Praia de Camburi serão geridos por uma única empresa

A licitação em bloco seguirá modelo já adotado por outras cidades, como o Rio de Janeiro

Quiosque 5 da Praia de Camburi
Quiosque 5 da Praia de Camburi
Foto: Guilherme Ferrari

Uma única empresa vai gerir todos os 14 quiosques da Praia de Camburi. A Prefeitura de Vitória vai lançar, até o final de fevereiro deste ano, somente um edital de licitação para os 14 quiosques da orla.

Desde dezembro, os quiosques estão ocupados pelo Festival Gastronômico, com bares do Roda de Boteco. O evento estava previsto para acontecer até o fim de fevereiro, mas foi prorrogado até maio.

A empresa vencedora será a gestora dos quiosques a partir de junho e pelos próximos 5 anos. Para isso terá que pagar o valor mínimo mensal de R$ 1,2 mil por cada estabelecimento e que estará previsto na concorrência.

Os quiosques chegaram a ficar fechados no ano passado por conta do preço alto que era cobrado pelo aluguel, de R$ 12 mil por mês, quando eles eram de responsabilidade da Secretaria do Patrimônio da União (SPU).

Após a transferência da gestão das praias urbanas para a capital, a prefeitura pode reduzir esse preço, segundo o diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento de Vitória, Leonardo Krohling. O órgão é responsável pela publicação do edital.

Ele conta que a decisão por esse modelo de administração única partiu de um estudo, usando como referência outras cidades, como o Rio de Janeiro.

"A Prefeitura não vai tratar um por um de maneira individual mais. É um modelo já utilizado no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte. Fizemos um estudo bem grande para fazer em cima desse modelo também", revelou.

Quem ganhar a licitação terá a opção de sublocar os pontos para outros parceiros, mas é a empresa vencedora que vai ter que prestar contas à Prefeitura sobre a administração dos quiosques. Krohling defende que esse modelo facilita a fiscalização do serviço prestado nos estabelecimentos.

"Dessa maneira, fica mais simples da gente poder administrar uma empresa que tome conta dos 14 quiosques e aí essa empresa terá uma facilidade maior de poder rever contratos. Não vai ficar igual a Prefeitura que dependia de várias decisões para trocar um inquilino", argumenta.

Para evitar confusão com os moradores dos bairros próximos à orla, a Prefeitura vai manter na licitação uma regra estabelecida no Festival Gastronômico e todos os quiosques deverão ser fechados até as 23h.

 

Ver comentários