Notícia

Superlotação leva maternidades a deixar de atender pacientes

Só neste mês de março, duas delas ficaram superlotadas na capital

Superlotação no Hucam
Superlotação no Hucam
Foto: TV Gazeta

Maternidades chegando em ponto crítico. A superlotação tem levado unidades a deixar de atender pacientes em Vitória. Só neste mês de março, duas delas ficaram superlotadas: a maternidade do Hucam e a Pró-Matre, da Santa Casa de Vitória.

O Hucam fechou a unidade para novos atendimentos entre os dias 12 e 16. A unidade possui 20 leitos, mas no momento do fechamento, tinha 34 mulheres, que tiveram de ser levadas para leitos de outras especialidades.

Já a Pró-Matre suspendeu por uma semana os atendimentos eletivos, que são aqueles procedimentos médicos programados, ou seja, não são considerados de urgência e emergência.

Segundo a diretora técnica da unidade da Santa Casa, Rosani Caiado, o atendimento já foi normalizado. A suspensão, de acordo com ela, se deu porque a Pró-Matre absorve muitas pacientes de outras cidades.

Leia também

"Tenho recebido pacientes de Viana, muitos de Cariacica, inúmeros da Serra, inúmeros de Vila Velha, quando não de muitos outros municípios: São Mateus, Afonso Cláudio e assim sucessivamente", relata a diretora.

Ary Célio, que é referência técnica da área técnica da Saúde da Mulher, da Secretaria de Estado da Saúde do Espírito Santo (Sesa), alega que uma das causas do problema é um pré-natal deficiente oferecido pelo atendimento primário dos municípios.

"A maternidade tem tido uma permanência maior das gestantes (no hospital) por quê? Porque em torno de 30% delas têm internado com condições clínicas sensíveis ao cuidado primário. Ou seja, poderia ter resolvido lá no pré-natal, na atenção básica", defende ele.

Segundo Ary, a ampliação da maternidade de Carapina e a construção do Hospital Geral em Cariacica vão ajudar a reduzir essa grande procura pelas maternidades da capital.

As obras da maternidade de Carapina estão previstas para terminar no próximo mês e o número de leitos será ampliado de 18 para 38. A unidade, que hoje realiza uma média de 200 partos por mês, aumentará sua capacidade para 400, segundo a Prefeitura da Serra. O serviço também será incrementado com banco de leite humano, entre outras novidades.

Já o Hospital Geral de Cariacica será a primeira unidade de atendimento hospitalar de alta complexidade do município, contando com 400 leitos. Desses, 40 serão destinados para maternidade. As obras de terraplenagem da área do HGC estão em andamento e a previsão de conclusão é no segundo semestre deste ano. O edital da obra do hospital está previsto para ser publicado ainda em 2018.

Ver comentários