Notícia

Médica desaparecida teria sido vista em Jaguaquara, interior da Bahia

Na última sexta-feira (13) pessoas informaram que ela foi vista na cidade de Jaguaquara, interior da Bahia

As buscas pela cardiologista Jaqueline Colodetti, desaparecida no último dia 03, ganharam um novo fôlego neste final de semana. Na última sexta-feira (15) pessoas informaram que ela foi vista na cidade de Jaguaquara, interior da Bahia. Familiares da médica estão na cidade, que fica a mais de mil quilômetros de Vitória.

A médica sumiu quando voltava de Santa Leopoldina, onde trabalha, para Cariacica, onde mora. Ela tem 50 anos e é mãe de três filhos. De acordo com a sobrinha de Jaqueline, a cardiologista Raíza Colodetti, sete pessoas contaram que viram Jaqueline em Jaguaquara. Ela estaria de boné e com uma roupa diferente da que usava no último dia que foi vista.

Desaparecida há quase duas semanas, parentes de Jaqueline entregam panfletos em cidades do interior da Bahia e fazem divulgação nas redes sociais. Raíza conta que todas as pessoas que disseram ter visto a médica afirmam que ela pegou carona com caminhoneiros, por isso, a família acredita que a cardiologista pode não estar mais em Jaguaquara, mas em uma cidade vizinha ou até mesmo em outro Estado.

“Apesar do indício de que ela está indo pelo BR 116, sentido nordeste, como há muita bifurcação nas estradas e caminhoneiros que viajam para todo Brasil, não descartamos a possibilidade dela estar em outro Estado”, disse.

De acordo com Raíza, tudo indica que Jaqueline teve uma perda súbita da memória. Ela contou que conversou com psiquiatras e eles informaram que isso pode acontecer. Disseram também que ela pode recuperar a memória em dias, meses, ou ficar assim para o resto da vida.

“Acreditamos que ela teve alguma alteração psiquiátrica que fez ela ficar fora de si. Com certeza ela não está normal, com o pensamento organizado do jeito que todos nós temos”, afirmou.

Leia também

Quem tiver informações sobre a médica pode ligar para os telefones (27) 99989-3396, (27) 99973-8951 ou 181, o Disque Denúncia. Também foi criada uma página no Facebook com o nome Procura-se Jaqueline para que as pessoas possam ver fotos da médica.

A Polícia Civil informou que a equipe da Delegacia Especializada de Pessoas Desaparecidas segue em diligências e tem apurado todas as informações e denúncias que tem recebido. Porém, disse que não passaria mais informações para não atrapalhar a apuração do fato.

Ver comentários