Notícia

Médico diz que Unidade não oferece condições dignas de trabalho

O médico Aurédio José do Couto, de 71 anos, se irritou em posto de Cariacica, quebrou cadeiras jogou documentos no chão

Médico foi à unidade de saúde de Jardim América, em Cariacica, nesta quarta-feira
Médico foi à unidade de saúde de Jardim América, em Cariacica, nesta quarta-feira
Foto: Caíque Verli

Um dia após se revoltar e promover um quebra-quebra na unidade de saúde de Jardim América, em Cariacica, na Grande Vitória, o médico Aurédio José do Couto, de 71 anos, conversou com a rádio CBN e desabafou sobre a falta de materiais básicos no posto.

O médico destruiu quatro cadeiras e duas gavetas nessa terça-feira (15), além de espalhar vários documentos no chão da unidade, que está em reforma e funciona com uma estrutura precária. Ele se irritou porque estava sem sala para atender os pacientes.

Aurédio, que trabalha para a Prefeitura de Cariacica há mais de 40 anos, não demonstrou arrependimento com o protesto e se emocionou ao falar que não tem condições dignas de trabalho no posto.

"Você vai lá tirar uma ficha e vai ver o tratamento que é dado. Não tem um termômetro para ver sua temperatura, não tem um estetoscópio para escutar seu pulmão, um aparelho para medir sua pressão. Se eu quiser examinar sua amígdala, tenho que comprar o picolé e tirar o palito para examinar", desabafou.

A Polícia Civil disse que vai chamar Aurédio para depor e dar explicações sobre o ato de vandalismo. A Prefeitura de Cariacica suspendeu o médico por 60 dias, mas ele voltou ao posto na manhã dessa quarta alegando que não tinha sido comunicado da suspensão. Às 9h, Aurédio deixou a unidade dizendo que falaram para ele que não tinha pacientes para serem atendidos pelo médico durante a manhã. No posto, ele recebeu o apoio de vários pacientes, que também reclamaram da estrutura da unidade. O médico disse que também se sensibiliza com o drama dos pacientes, que precisam esperar horas na fila.

"Ficam aí de madrugada esperando abrir a porta e chegam aqui e fica tudo em pé. Não tem nem banco para sentar. Isso não é coisa de gente. Quantas pessoas chegaram aqui com gripe e hoje estão com pneumonia", reclamou.

>>>> Confira outras partes da entrevista com o médico

Outros médicos e pacientes também reclamaram da estrutura do posto, mas a prefeitura de Cariacica assegurou que abasteceu a unidade com todos materiais básicos que foram solicitados no almoxarifado da secretaria da Saúde. A secretária municipal de Saúde, Stéfane Legran Vilaça Macedo, disse que vai apurar se houve mesmo falta de equipamentos e de quem são as responsabilidades pelo problema.

Ver comentários