Notícia

Mais de 140 mil idosos estão no mercado de trabalho no Espírito Santo

Muitos idosos precisam permanecer ativos no mercado para complementar a renda familiar

Carteira profissional, símbolo do trabalho formalizado, que continua em queda
Carteira profissional, símbolo do trabalho formalizado, que continua em queda
Foto: Fábio Vicentini/Arquivo

De acordo com pesquisas divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população atual do Espírito Santo tem mais de 560 mil idosos. Desse total, 143 mil ainda estão no mercado de trabalho. Alguns continuam em atividade por opção, mesmo que não dependam exclusivamente do salário que recebem. Muitos outros precisam permanecer ativos e com emprego para complementar a renda familiar - ou mesmo ser a única pessoa que consegue ter renda entre moradores da mesma casa.

Um exemplo dos idosos que precisam continuar trabalhando para pagar as contas de casa é a faxineira Regina Pinheiro, de 64 anos. Ela mora com a filha, que está desempregada, e os dois netos, que ainda são crianças.

"Eu trabalho para complementar a renda, porque só o valor da aposentadoria não dá. São quatro pessoas dentro de casa e só eu que trabalho. É com o meu dinheiro que pago as contas. Não tem outra pessoa para me ajudar", disse a faxineira.

A analista recursos humanos, Eliana Machado Silva, afirmou que algumas empresas preferem contratar funcionários mais velhos por entenderem que eles são mais responsáveis que os mais jovens.

Leia também

Na avaliação da especialista, a principal dificuldade identificada nos funcionários mais velhos é a capacidade de lidar com equipamentos eletrônicos. No entanto, Eliana destaca que é importante que as pessoas nessa faixa etária continuem atualizadas quanto às inovações de tecnologia, para que tenham mais oportunidades de emprego.

"A gente vê um pouco de resistência desse profissional, com esse perfil, em relação à tecnologia. Eles têm uma necessidade de conhecer, porque são ferramentas utilizadas por várias áreas de atuação. É preciso se preparar para que possa manter essa inserção no mercado por um tempo maior", opinou a analista de recursos humanos.

A maioria dos 140 mil idosos que continuam em atividade no mercado de trabalho atuam no setor do comércio. Em outros casos mais específicos, essas pessoas voltam ao mercado de trabalho para prestar consultorias em áreas que têm muito tempo de experiência.

Ver comentários