Notícia

Carros a gás não poderão ser abastecidos com pessoas dentro

Postos de combustíveis serão obrigados a checar o cilindro, verificar se há selo do Inmetro e pedir para que os ocupantes estejam fora do veículo. A nova lei estadual, publicada nesta terça-feira (28) no Diário Oficial do Estado, já está em vigor

Motoristas reclamam de aumento no preço do Gás Natural Veicular (GNV) na Grande Vitória
Motoristas reclamam de aumento no preço do Gás Natural Veicular (GNV) na Grande Vitória
Foto: Eduardo Dias

Agora é lei: para abastecer carros com Gás Natural Veicular (GNV), os postos terão que checar se os cilindros são regulares e pedir para que os motoristas saiam dos veículos. Os estabelecimentos também terão que colocar avisos indicando aos clientes que esses procedimentos são obrigatórios no momento do abastecimento.

A lei, que foi sancionada pelo governador Paulo Hartung e publicada nesta terça-feira (28) no Diário Oficial do Estado, já está em vigor. Os postos de combustíveis são obrigados a checar o cilindro, verificar se há selo do Inmetro e pedir para que todos os ocupantes estejam fora do veículo.

Os postos também estão obrigados a afixar avisos com os dizeres “só é permitido o abastecimento de Gás Natural Veicular (GNV) após apresentação do selo de abastecimento de GNV válido, verificação do cilindro e ausência de pessoas no interior do veículo, sob pena de multa.”

Leia também

Para o motorista de aplicativos Cleverson Gonçalves, a medida é positiva porque pode criar dificuldades para aqueles que possuem carros irregulares. “É mais segurança porque a gente não sabe se está todo mundo legalizado, se alguém está com botija fora dos padrões.”

Victor Santos também é motorista de aplicativos e diz que sempre sai do carro quando abastece o carro com gás. “Acho uma boa medida tanto para os frentistas quanto para os motoristas. Eu costumo sempre sair do carro e manter distância.”

No posto de combustíveis em que Marcelo Thomazini é gerente, todos os frentistas passaram por treinamentos para abastecer carros com GNV. Ele diz que o treinamento faz parte das precauções para evitar acidentes. Um desses funcionários é Cristriovaldo da Silva que, assim como os motoristas entrevistados pela reportagem, gostou da nova lei e diz que exigências trazem mais segurança. “Com certeza. Não só para mim, mas para os clientes também.”

Cristiovaldo da Silva, frentista
Cristiovaldo da Silva, frentista
Foto: Rafael Monteiro de Barros

O Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Espírito Santo (Sindipostos-ES) informou, por meio de nota, que está ciente das novas regras para abastecimento de veículos com GNV e avalia a nova lei como a transferência da fiscalização sobre esses carros aos revendedores e seus funcionários que, de acordo com o sindicato, não têm qualificação técnica para avaliar as condições dos equipamentos. Da mesma forma, não têm poder de obrigar ao consumidor que saia do veículo ou que abra o porta-malas do seu carro para verificação.

O Sindipostos-ES também considera que, pela grande importância do assunto, é necessária uma discussão mais ampla e com todos os envolvidos, incluindo postos e empresas de instalação e inspeção, para que as medidas sejam aplicáveis ao dia a dia do setor e garanta a segurança de todos os envolvidos.

Ver comentários