Notícia

Comércio pede reforço da PM em avenidas com maior número de lojas

Em resposta, Segurança Pública cria grupo de trabalho para discutir o problema. Dados do Sindicato dos Lojistas mostram que somente em 2017 foram cerca de 309 casos por mês, o que correspondeu a 3.600 ocorrências no ano

Loja de móveis e eletrodomésticos em Porto Canoa, na Serra, foi arrombada na madrugada desta terça-feira (7) pela segunda vez em 15 dias
Loja de móveis e eletrodomésticos em Porto Canoa, na Serra, foi arrombada na madrugada desta terça-feira (7) pela segunda vez em 15 dias
Foto: Daniela Carla

A Federação do Comércio, de Bens de Serviços e Turismo (Fecomércio) solicitou à cúpula de segurança pública do Espírito Santo um reforço na presença da Polícia Militar nas avenidas com maior concentração de lojas e estabelecimentos comerciais. Nesta quinta-feira (09) representantes da federação se reuniram com o secretário de Estado de Segurança Pública, Nylton Rodrigues, com o Comandante da Polícia Militar, Alexandre Ramalho e com o chefe da Polícia Civil, Guilherme Daré, para discutirem estratégias para o enfrentamento à onda de arrombamentos registrados no estado.

Em relação ao trabalho da Polícia Civil, o pedido foi por um reforço no setor de investigações de crimes. Os pedidos são uma reação aos diversos casos recentes de arrombamentos em comércios no estado. A média atual, de acordo com o Sindicato dos Lojistas, é de 10 arrombamentos por dia.

Leia também

As demandas dos comerciantes aos representantes das forças de segurança estadual foram apresentadas em uma reunião realizada na manhã desta quinta-feira (9), na sede da Fecomércio, em Vitória. 

Em Vitória, a Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro, está entre as ruas que os comerciantes pedem mais policiamento. Na Serra, o apelo foi para a Avenida Central, em Laranjeiras. Em Cariacica, o destaque foi para a Avenida Expedito Garcia, em Campo Grande. O presidente da Fecomércio, José Lino Sepulcri, falou sobre a situação dos comerciantes. No entanto, não houve confirmação se o pedido de reforço policial em algumas vias será atendido.

"A presença física do policial, com o patrulhamento nas ruas. Eu acho que precisa de um planejamento mais efetivo. Não é somente quando ocorro o furto ou roubo que ela vai atuar. Tem que haver uma prevenção com antecedência", avaliou o presidente da Fecomércio.

Em resposta ao pedido da Fecomércio, o secretário de segurança, Nylton Rodrigues, afirmou que será publicada uma portaria no Diário Oficial para a criação de um grupo de trabalho entre a Polícia Civil, Polícia Militar e Fecomércio. A intenção do grupo é realizar reuniões mensais para que as demandas de segurança dos comerciantes sejam discutidas.

O secretário Nylton Rodrigues ainda afirmou que apenas a atuação das polícias não é suficiente para acabar com o problema da insegurança.

"O problema da violência que é enfrentado no Brasil não pode ser discutido de maneira superficial. Aconteceu um crime, (o problema) é falta de policiamento. Nós temos que informar à população que em nenhum lugar do mundo a polícia consegue se fazer presente em todas as ruas, passar na frente do comércio de cinco em cinco minutos. Isso não existe e nunca existirá", declarou o secretário de segurança.

Dados do Sindicato dos Lojistas mostram que 10 estabelecimentos comerciais são arrombados por dia no Estado e a metade desses casos acontece na Grande Vitória. Segundo o Sindilojistas, somente em 2017 foram cerca de 309 casos por mês, o que correspondeu a 3.600 ocorrências no ano.

Ver comentários