Notícia

Falta ao trabalho é a principal causa de investigação de servidores

Alguns servidores do Estado e de prefeituras são demitidos por faltarem por mais de 60 dias ao longo de um ano

Antes de assinar o contrato, vá ao Cartório de Registro de Imóveis e solicite a certidão de matrícula do bem
Antes de assinar o contrato, vá ao Cartório de Registro de Imóveis e solicite a certidão de matrícula do bem
Foto: Freepik

A falta de servidores públicos ao trabalho é uma das irregularidades mais investigadas pelas corregedorias do Estado e dos municípios da Grande Vitória. Em muitos casos, alguns servidores faltam ao trabalho por mais de 60 dias ao longo de um ano e acabam demitidos. As investigações contra os faltosos são divididas em dois grupos. No primeiro estão os funcionários que faltam por mais de 30 dias seguidos e respondem processos por abandono de emprego. No segundo grupo, o termo inassiduidade habitual é usado para enquadrar os servidores que faltam por mais de 60 dias, de forma alternada, ao longo de um ano.

A Procuradoria Geral de Vitória afirmou que, entre todas as irregularidades, 110 servidores da cidade são investigados atualmente. O número reúne várias situações, mas o abandono de emprego é a principal. A inassiduidade habitual é o segundo problema que mais acontece. A indisciplina e a insubordinação também aparecem entre os problemas mais citados.

De janeiro a junho de 2018, a prefeitura de Vitória já demitiu oito servidores que foram investigados pelas procuradorias da cidade. A corregedora Luciana Fontenelle afirma que muitos servidores acumulam faltas e alegam problemas de saúde para justificar as ausências. O processo de investigação, em média, dura aproximadamente um ano.

"Normalmente, dentro do período de um ano, o processo tem início e fim. Porém existem processos com uma probabilidade de extensão maior de casos, devido à complexidade de provas. Por exemplo, denúncias de suborno ou propina, alguma coisa assim", explicou a corregedora.

No Governo do Estado, 172 servidores passaram por processo de investigação nos primeiros seis meses de 2018. Nesse período foram registradas uma destituição de cargo público e uma demissão.

A Prefeitura de Cariacica informou que a grande quantidade de faltas intercaladas ao longo de um ano é o problema que mais gera investigações na cidade, mas o número exato não foi confirmado. Entre todas as irregularidades, 26 servidores sofreram processos administrativos e dois foram demitidos em 2017. No primeiro semestre de 2018 foram sete processos e três servidores demitidos.

Na Serra, o abandono de cargo é a segunda irregularidade que mais causa demissões. O maior problema do município em 2018 foi a grande quantidade de professores demitidos por uso de diplomas falsos - foram 317 até o mês de agosto.

A prefeitura de Vila Velha informou que a inassiduidade habitual é a irregularidade mais apurada na cidade. Entre todos os processos, 16 servidores são investigados em 2018 e uma demissão já aconteceu.

Ver comentários