Notícia

Moradores de terreno ocupado dormem em escola e alunos ficam sem aula

Mais de 20 famílias ocupavam terreno de propriedade particular. Após desapropriação, Justiça determinou que as pessoas fossem levadas para uma escola municipal em Morada da Barra

Escola Darcy Ribeiro está sem aulas depois que foi fechada para acolher moradores de terreno desapropriado
Escola Darcy Ribeiro está sem aulas depois que foi fechada para acolher moradores de terreno desapropriado
Foto: Caíque Verli

Mais de 20 famílias que viviam em um terreno ocupado em Morada da Barra, que foi desapropriado ontem, foram para a escola municipal Darcy Ribeiro. A Justiça pediu que a Prefeitura de Vila Velha liberasse o espaço para as pessoas que não tinham para onde ir. Com isso, cerca de 1100 alunos, do primeiro ao nono ano do Ensino Fundamental, estão sem aula desde a tarde de terça.

O terreno é de propriedade particular e estava ocupado há sete anos: tinha barracos, casas de alvenaria e até comércio. Tudo foi derrubado depois que a Justiça determinou a desapropriação.

As famílias, incluindo idosos e muitas crianças, chegaram ao colégio durante a noite de terça. Todos ficaram amontoados em colchões espalhados pelo chão do refeitório da escola.

Sued comentou sobre noite que passou no refeitório da escola Darcy Ribeiro
Sued comentou sobre noite que passou no refeitório da escola Darcy Ribeiro
Foto: Caíque Verli

Uma das pessoas que dormiram na escola, Sued Lira contou que a primeira noite na escola foi desesperadora.

"Crianças chorando, em pânico, gritando. Várias crianças acordaram à noite. A gente está tentando sobreviver ali dentro: muita gente, colchão colado no do outro, está dessa forma", relatou.

Até mesmo fazer a higiene pessoal está difícil. É apenas um chuveiro, com água fria, para todo mundo, como contou uma dessas pessoas, que pediu para não ser identificada. No desespero, não deu para pegar todos os pertences antes da desapropriação e até sabonete está faltando.

"Tem que fazer fila para usar um banheiro só. Para comer é doação que a gente recebe da comunidade. Não tem pasta de dente nem escova para escovar os dentes. Tomar banho só com água porque não tem sabonete", reclamou.

Quem morava no terreno há anos chora ao lembrar da derrubada das casas. A Eliane de Carvalho estava lá há quatro anos e chegou a fazer uma mercearia pequena lá dentro, que também foi destruída.

Um grupo de evangélicos levou doação de alimentos para os moradores que estão na escola Darcy Ribeiro, em Morada da Barra
Um grupo de evangélicos levou doação de alimentos para os moradores que estão na escola Darcy Ribeiro, em Morada da Barra
Foto: Caíque Verli

"Não sei o que eu vou fazer. Sinceramente, não sei. Esperamos que eles arrumem pelo menos a casa. Que seja a nossa e não seja um aluguel social', afirmou.

Até o final da manhã, não tinha previsão de quando a escola seria liberada. Profissionais da Secretaria de Assistência Social de Vila Velha estiveram no local para conversar os moradores e fazer uma lista de quem dormiu no colégio.

Ver comentários