Notícia

Somente neste ano, 15 falsos dentistas já foram identificados no ES

Eles atuavam na Grande Vitória e no interior mesmo sem diploma - alguns sem nenhuma ligação com a área e outros que são estudantes de odontologia, mas sem autorização para fazer os procedimentos

Consultório onde falso dentista atendia os pacientes em Pedro Canário
Consultório onde falso dentista atendia os pacientes em Pedro Canário
Foto: Arquivo/ Divulgação

Os capixabas precisam ter atenção ao buscar um tratamento dentário para evitar, por exemplo, infecções graves que podem levar à morte. De janeiro a junho deste ano, 15 falsos dentistas foram identificados no Espírito Santo. Cinco consultórios onde eles atuavam já estão interditados e os outros profissionais ainda não foram localizados.

Eles atuavam na Grande Vitória e no interior mesmo sem diploma - alguns sem nenhuma ligação com a área e outros que são estudantes de odontologia, mas sem autorização para fazer os procedimentos. As informações são do Conselho Regional de Odontologia do Espírito Santo.

Ao todo, 42 clínicas particulares foram notificadas por atividade irregular - incluindo o número de autuações dos falsos dentistas, e há ainda os casos de consultórios que não seguiam as regras da Vigilância Sanitária. O alerta vale também para o interior das cidades, onde é muito comum a atuação dos chamados dentistas "práticos", pessoas com consultório próprio, às vezes há décadas, mas que não são formados na área.

Leia também

Um paciente teve paralisia facial após um procedimento em um desses estabelecimentos no interior. Os pacientes, muitas vezes, são enganados pela fachada da clínica. Fiscal do CRO, Frank Moraes orienta o capixaba a identificar esses locais.

"Quando se trata de um consultório, ter que ter obrigatoriamente o nome do profissional, ter a expressão representativa da categoria e o número do registro na publicidade do consultório. Da mesma forma que o profissional tem que ter o registro, a clínica também tem que ter. Essas informações precisam estar visíveis", alerta.

Após constatar as situações, o conselho aciona a Vigilância Sanitária municipal, que pode interditar o estabelecimento e denunciar o falso profissional à polícia. Na maioria dos casos, o criminoso acaba respondendo em liberdade. A população ainda pode se certificar da qualificação do profissional que for procurar: com o nome do dentista em mãos, o paciente pode conferir se ele é mesmo registrado no Conselho, através do site www.croes.gov.br ou do telefone 3022-4750.

Ver comentários