Notícia

Turismo nas montanhas durante inverno tem alta de 8% este ano

Durante o mês de julho, a ocupação ficou próxima dos 100%, mesmo com o aumento também no número de leitos

Turismo: Pedra Azul é um dos destinos preferidos no Espírito Santo
Turismo: Pedra Azul é um dos destinos preferidos no Espírito Santo
Foto: Gildo Loyola/Arquivo AG

O inverno tem sido muito bom para o setor da hotelaria na região Serrana do Espírito Santo. A ocupação de hotéis e pousadas cresceu 8% nas Montanhas Capixabas nesse período, segundo o Conselho Estadual de Turismo.

Durante o mês de julho, a ocupação ficou próxima dos 100%, mesmo com o aumento também no número de leitos - de 2700 no ano passado para mais de 3 mil no inverno de 2018, na região. O que mostra que muitos turistas optaram por curtir o frio rigoroso das Montanhas, com destaque para Pedra Azul, em Domingos Martins.

Valdeir Nunes, membro do Conselho e presidente do Convention & Visitors Bureau das Montanhas Capixabas, explica que a alta do dólar e as riquezas da região, como o agroturismo e a culinária, acabam atraindo os turistas.

"Quem fazia uma viagem para fora, acaba optando para fazer turismo dentro do Brasil. A movimentação nossa, dentro do Brasil, tem sido muito boa. O turismo interno aumentou", disse.

E essa movimentação também acarretou um crescimento no número de vagas de emprego - hotéis e pousadas da região Serrana aumentaram, temporariamente, de 15 a 20% o quadro de funcionários.

Apesar dos bons resultados, segurar a clientela, em meio a crise, não é nada fácil: foi preciso segurar o preço das reservas, como conta o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Espírito Santo, Gustavo Aride Guimarães.

"Tem hotel praticando tarifa que praticava na época de 2015, quando a crise começou a crescer e se instalou no país. Ou a gente tem essa redução ou corre o risco de não alcançar a ocupação esperada", afirma Gustavo.

Julho e janeiro são os meses com maior taxa de ocupação nos hotéis e pousadas da região. No início do ano, quase todos os quartos também ficam ocupados por turistas que querem fugir das festas no Litoral.

 

 

Ver comentários