Notícia

Terceira Ponte: resgates terão ponte vazia e acessos bloqueados

Esvaziamento total da Terceira Ponte e da Praça do Pedágio, além dos bloqueios aos acessos, tanto em Vitória quanto em Vila Velha, foram as adequações apresentadas nesta terça-feira (9) para o plano de contingências em situações de emergência e crise

Veículos que estiverem em cima da ponte no momento do bloqueio, serão obrigados a retornar pelos chamados “gates”, aberturas no canteiro central da via
Veículos que estiverem em cima da ponte no momento do bloqueio, serão obrigados a retornar pelos chamados “gates”, aberturas no canteiro central da via
Foto: Marcelo Prest

Mudanças no protocolo de atendimento a ocorrências que demandam o fechamento total do trânsito na Terceira Ponte foram anunciados na tarde desta terça-feira (9). A partir de agora, todos os veículos que estiverem em cima da ponte no momento do bloqueio serão obrigados a retornar para Vila Velha ou para Vitória pelos chamados “gates”, que são aberturas no canteiro central da via. A intenção é evitar que os ocupantes desses veículos fiquem presos em cima da ponte enquanto houver o atendimento da ocorrência, como o ocorrido no dia 10 de setembro, quando a ponte ficou interditada por cerca de oito horas.

Além disso, no caso de pessoas que estiverem atentando contra a própria vida, o Tenente Coronel Buzzato, do Corpo de Bombeiros, afirma que o esvaziamento total da ponte facilitará o trabalho de resgate por oferecer mais espaço para o serviço e, também, por tornar o ambiente mais tranquilo.

“É justamente para garantir esse espaço de operação tanto do grupo técnico, formado pela dupla de negociadores, quanto da equipe tática, que fará, se for necessário, uma operação de retirada à força. Por isso, se espera um espaço razoável das duas vias”, disse.

> Plano para esvaziar a Terceira Ponte não foi cumprido

Após a constatação da ocorrência por parte da Rodosol, a Terceira Ponte já ficará bloqueada. No entanto, enquanto a Polícia Militar ou o Corpo de Bombeiros não chegarem ao local da tentativa de suicídio para fazer o isolamento da área, os veículos que estiverem em cima da ponte vão poder seguir o trajeto normalmente até Vitória ou Vila Velha.

Além disso, também haverá o esvaziamento total da praça de pedágio, em Vitória. Assim, todos os veículos que estiverem retidos no local serão desviados para a Rua Humberto Martins até a Avenida Américo Buaiz. Já os acessos pelas Ruas Clóvis Machado e Dukla de Aguiar e pela Praça do Cauê continuarão sendo bloqueados enquanto a ponte estiver interditada. Isso significa que os veículos não conseguirão chegar até a praça de pedágio e precisarão seguir para Vila Velha por outro trajeto, como a Segunda Ponte ou a Cinco Pontes.

Do lado de Vila Velha, os veículos que estiverem na Avenida Carioca para acessar a Terceira Ponte serão desviados pela Guarda Municipal para a Rua Sergipe e serão orientados a pegar outro caminho para chegar à Capital.

MUDANÇAS

A revisão no plano de contingência em situações de emergência e crise foi anunciado por um grupo de trabalho formado pela Agência de Regulação dos Serviços Públicos do Espírito Santo (ARSP), Ministério Público do Espírito Santo (MPES), Rodosol, Corpo de Bombeiros Militar do Espírito Santo (CBES), Polícia Militar do Espírito Santo (PMES) e as Guarda Municipais de Vila Velha e Vitória.

Representando o Ministério Público Estadual no trabalho que levou a revisão do protocolo, o promotor Marcelo Lemos pede a colaboração dos usuários da ponte. “Sabemos do transtorno, mas temos que, infelizmente, lidar com essa situação até que tenhamos uma situação que está sendo criada agora, que estamos trabalhando, que é a questão da proteção que vai se instalada na ponte”, comentou.

Barreira de proteção que será colocada na Terceira Ponte
Barreira de proteção que será colocada na Terceira Ponte
Foto: Carlos Alberto Silva

Em relação ao mecanismo de proteção que será instalado na Terceira Ponte, o diretor-presidente da Agência de Regulação dos Serviços Públicos do Espírito Santo (Arsp), Julio Castiglioni, afirmou que ainda não há definição a respeito do assunto. No entanto, ressaltou que a empresa que fará a instalação do equipamento deve ser contratada até o fim deste ano e que as obras devem ser concluídas até o fim do primeiro semestre de 2019.

Após uma operação de resgate, no dia 10 de setembro, que durou oito horas e deixou a ponte interditada durante todo o trabalho, a Arsp anunciou que uma barreira de proteção será instalada na via para evitar tentativas de suicídio. O mecanismo será uma espécie de cerca inclinada, com cabos de aço.

Ver comentários