Notícia

Tratamento mais eficaz e menos tóxico para pacientes oncológicos

Novas técnicas de radioterapia permitem tratar os tumores com altas doses de radiação e, ao mesmo tempo, preservar os tecidos sadios

Por ser uma doença muito agressiva, os tratamentos do câncer são igualmente agressivos e, dependendo do local, podem deixar marcas pelo resto da vida. Para reduzir o risco de sequelas e melhorar a qualidade de vida do paciente durante o processo, o Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim (HECI) deu início a duas novas técnicas de radioterapia: a Arcoterapia Volumétrica Modulada (VMAT), e a Radiocirurgia de Sistema Nervoso Central.

O VMAT, sigla em inglês, é uma modalidade da radioterapia de intensidade modulada (IMRT), que combina a eficácia da modulação do feixe de Radiação com a rapidez de um tratamento em arco, para obter uma distribuição de dose adequada no tumor, mas poupando as estruturas ao seu redor. Esse tratamento, além de trazer menos efeitos colaterais, significar melhor qualidade de vida após sua conclusão.

Setor de Radioterapia do HECI
Setor de Radioterapia do HECI
Foto: Hospital Evangélico

Bruno Resende, médico radio-oncológico e coordenador do setor de Radioterapia do HECI, explica que a técnica permite que as doses sejam completamente direcionadas ao local da doença e, o melhor, preservando os órgãos vizinhos. “Os maiores benefícios são em câncer de cabeça e pescoço, pois é possível tratar os tumores com doses mais altas de radiação, principalmente quando encontram-se muito próximos de estruturas nobres do corpo. A terapia convencional traz maior toxicidade, pois pode atingir outras áreas provocando efeitos colaterais como boca seca e prejuízo visual por exemplo. ”, explica.

A segunda novidade é a Radiocirurgia de Sistema Nervoso Central, que possibilita tratar tumores cerebrais com alta precisão e elevadas doses de radiação. “Por conta da alta dose, o doente é tratado em apenas uma sessão, enquanto no tratamento tradicional, são feitas várias aplicações de doses pequenas, o que torna o processo mais sofrido e com mais efeitos colaterais”, explica Bruno.

Três pacientes já foram tratados com Radiocirurgia no Hospital Evangélico e outros seis estão sendo submetidos ao IMRT em arco. Até o fim do ano, a expectativa é beneficiar 10 pessoas com a Radiocirurgia e 20 com o VMAT. De acordo com Bruno Resende, o VMAT não é contemplado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), “mas o Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim, sempre cumprindo sua missão de cuidar das pessoas, oferecerá esse tratamento para os pacientes do sistema em casos selecionados pela equipe médica”. A Radiocirurgia é contemplada pelo SUS e já é ofertada aos usuários com indicação médica.

Radiocirurgia
Radiocirurgia
Foto: Hospital Evangélico

Mais novidades

O coordenador do setor de radioterapia anuncia que outra técnica será aplicada pelo hospital em breve. “A Braquiterapia de alta taxa de dose (HDR), usada para tratamentos como os dos tumores ginecológicos, de próstata, entre outros. Será mais um serviço do Hospital Evangélico. Isso faz parte de nossa preocupação não apenas com a cura da doença, mas com a dignidade do paciente após o tratamento, para que ele consiga seguir a vida como era antes”, finaliza.

Ver comentários