Notícia

Emaranhado de histórias em estreia literária de escritora

Brunella Brunello lança o livro de contos "Bárbara" hoje à noite, no Centro, em Vitória

Uma volta pelo centro de Vitória ao lado de seu companheiro e o curioso nome de um antigo edifício fincado nas imediações do Parque Moscoso. Esses elementos foram responsáveis para que “Bárbara”, estreia literária de Brunella Brunello, começasse a se desenhar na cabeça da jornalista e escritora.

No caso, tudo se deu pela semelhança fonética entre o nome de batismo do prédio já citado e o de Sherazade, narradora de “As Mil e Uma Noites”. A aproximação, como conta a escritora, a impulsionou a escrever a história de “mil e um apartamentos”. “Na hora tive esse estalo”, recorda.

Escritora e jornalista, em “Bárbara” Brunella Brunello conta a história de moradores de um edifício fictício de dez andares
Escritora e jornalista, em “Bárbara” Brunella Brunello conta a história de moradores de um edifício fictício de dez andares
Foto: Tiago Zanoli/Divulgação

Sendo assim, “Bárbara”, que será lançado hoje à noite na Editora Cousa, no Centro, em Vitória, debruça-se sobre os moradores de um edifício fictício de dez andares. Composto por 21 capítulos breves, encontramos no livro histórias tocantes e, ao mesmo tempo, plurais. Contos que abordam solidão, sexualidade, velhice, morte, e entre outros temas, a força feminina.

Vale ressaltar que temos acesso à essas trajetórias pela voz de uma única narradora. É a misteriosa Camélia quem nos conduz pelos corredores, cozinhas e vidas que habitam o edifício onde a obra está ambientada.

Contudo, ao mesmo tempo que invadimos esse universo, também mergulhamos na vida de Camélia. Mas isso não acontece de maneira repentina: tudo se desenrola de maneira vagarosa, sempre pelas beiradas – algo que, como conta Brunella, não estava inicialmente previsto.

“Em determinado momento decidi contar a história da família que morava nesse prédio. Voltei e reescrevi para que essa narradora se inserisse na história”, explica.

Protagonista

O leitor atento que tiver em suas mãos “Bárbara” logo perceberá que o edifício não apenas ambienta as tramas que se passam dentro dele. O prédio é também um personagem importante neste emaranhado de histórias. Assim como as demais figuras que pintam ao longo do livro, a sua história é também contada.

Ao passo que avançamos nas páginas da obra, descobrimos que naquele terreno onde ele foi erguido, havia uma casa e uma família que a habitava. A família de Camélia.

Com tantas vozes e diferentes assuntos que aparecem nos contos, uma dúvida pode nos perseguir: qual é o grande tema de “Bárbara”? A resposta fica ao encargo da escritora: “Fico me fazendo essa pergunta. Mas para mim, ele é a passagem do tempo. O tempo simbólico”.

 

Bárbara - Brunella Brunello

Editora Cousa, 98 páginas. Quanto: R$ 20.

Lançamento hoje, a partir das 19h, na sede da Editora Cousa (Rua Sete de Setembro, 415, Centro, Vitória).