Notícia

Fafá de Belém volta ao Estado após longa ausência

Para matar a saudade do Espírito Santo, Fafá de Belém já adiantou: quer moqueca e torta capixaba

Após mais de 15 anos sem se apresentar em palcos capixabas, a cantora Fafá de Belém retorna ao Estado para uma única apresentação neste sábado (15). O show, que acontece na Área de Eventos do Shopping Vila Velha, na cidade canela-verde, é batizado de “Fafá de Belém e as guitarradas do Pará”.

“Estou com muita saudade”, diz ela sobre o Espírito Santo. “Nesse meu retorno, quero comer uma torta e uma moqueca capixaba”, brinca a cantora.

Deixando a culinária de lado, a apresentação faz um passeio pela carreira da paraense. Isso significa que estarão no repertório tanto canções que marcaram a trajetória artística de Fafá (“Vermelho”, “Nuvem de Lágrimas”, entre outras) quanto faixas de “Do Tamanho Certo Para o Meu Sorriso”, seu mais recente álbum, lançado em 2015.

Caio Galucci/Divulgação
Caio Galucci/Divulgação
Foto: A cantora paraense completa 61 anos no mês que vem

“Vai ser um repertório de músicas que canto há 30 anos, mas com outra sonoridade e arranjos novos”, adianta ela.

Em cima do palco, Fafá está acompanhada dos músicos Manoel e Felipe Cordeiro – ambos produtores do último disco da cantora, que ela reconhece ter sido uma aposta em sua carreira. “Todas as pessoas achavam que não daria certo. Achavam que, aos 40 anos de carreira, eu tinha de fazer um disco careta...”.

Inclusive, a parceria resultou no novo show, que, sonoramente, transita pela guitarrada, pelo carimbó e por outros estilos musicais tradicionais do Pará. “No show temos duas guitarras. Foi um salto de ousadia muito grande fazer uma linguagem mais contemporânea”, orgulha-se.

Trajetória

No próximo mês, Fafá de Belém completa 61 anos de idade. A pergunta que fica é: como é essa Fafá? “A mesma, mas mais serena. Olho para trás e me reconheço em cada parte (dessa trajetória). Mas hoje dei uma assentada. A vida faz isso com a gente”, reflete ela, que fala ainda sobre a sua carreira em cima dos palcos.

“Tenho 42 anos de carreira e nunca me vendi. Nunca gravei coisas para fazer sucesso. Pelo contrário: gravei lambada quando ninguém sabia o que era e sertanejo quando não tocava na rádio”, diz.

Com sua integridade, Fafá também tem feito voos em outras áreas. Um exemplo foram as participações especiais em “O Homem de La Mancha”, musical dirigido por Miguel Fallabela; e no programa “Show dos Famosos”, quadro do “Domingão do Faustão”.

“É algo interessante. Aos 60 anos, estou me reinventando. É como se a vida estivesse começando de novo”, conclui.

 

Fafá de Belém e as guitarradas do Pará

Quando: sábado, às 22h30. Abertura dos portões às 22h.

Onde: Área de Eventos Shopping Vila Velha, Av. Luciano das Neves, 2.418, Vila Velha.

Classificação: 16 anos.

Ingressos: 1º lote Cadeira Bronze – R$ 100 (Inteira) e R$ 50 (meia); 1º lote Cadeira Prata – R$ 140 (inteira) e R$ 70 (meia); 1º lote Cadeira Ouro – R$ 200 (inteira) e R$ 100 (meia); 1º lote Mesa Prata (quatro pessoas) – R$ 500; 1º lote Mesa Ouro (quatro pessoas) – R$ 600. Vendas até sexta (das 9h às 18h) na bilheteria da Área de Eventos; Jaklayne Joias e www.blueticket.com.br.

Informações: (27) 3533-2221

Cantora estará em “A Força do Querer”

Apesar de ter consolidado sua carreira artística na música, a cantora Fafá de Belém também tem uma sua formação como atriz. “Fiz teatro com 16 ou 16 anos, mas sempre cantei, desde criança”, relembra.

Como atriz, o seu primeiro trabalho aconteceu há uma década. Na ocasião, Fafá atuou na novela “Caminhos do Coração”, da emissora Record.

Agora, dez anos depois, ela retorna à dramaturgia. No caso, em “Força do Querer”, novela das 21h da Rede Globo assinada por Glória Perez.

Na trama, Fafá interpretará Almerinda, a mãe do personagem Zeca (Marcos Pigossi). A aparição da cantora-atriz na telinha deve acontecer apenas dia 25 deste mês.

Mesmo assim, ela adianta ao C2 algumas características do personagem que encarnará. “Posso dizer que ela é uma figura divertida. Uma mulher forte, paraense. Estou adorando!”.

No ar desde o abril, “A Força do Querer” celebra a cultura do Norte do país. Tanto que nos capítulos iniciais algumas cenas se passavam em Belém, no Pará, e também em Manaus, em Amazonas.

“Acho que (a novela) é uma homenagem às mulheres do Norte e do interior que saem de lá atrás de um sonho”, diz ela, que reconhece-se nessa história.