Notícia

E-book mostra a força da escrita das mulheres capixabas

Com lançamento nesta sexta (13), "Elas Tramam" reúne 14 autoras com as mais diferentes vivências

Foto: Divulgação

"Procura-se mulheres que queiram escrever textos de dramaturgia," foi assim que a dramaturga e atriz Nieve Matos fez o anúncio no Facebook. O motivo foi a constatação de um desfalque enorme de mulheres em comparação aos homens na dramaturgia capixaba e brasileira. Em uma breve pesquisa na internet, a busca por "dramaturga" foi substituída (como se fosse uma expressão errada) por "dramaturgo". A indignação pelo ocorrido mostrou a resposta para o desfalque de mulheres na dramaturgia: a falta de oportunidade.

Com o anúncio e suas respostas foi possível ter uma noção de quantas mulheres só esperavam para mostrar que podem e devem ter a função de dramaturga. Nesse caso, mais precisamente 140 aguardavam a chance. Com isso, a proposta de seleção de cinco mulheres passou a ser de 14, que juntas formaram o e-book "Elas Tramam" que será lançado nesta sexta (13), na Burlesqueria, centro de Vitória. O evento tem entrada gratuita e começa às 18h e marca também a abertura da mostra OFF de teatro de Vitória.

Foto: Divulgação

O título "Elas Tramam" brinca com o "tramar", sinônimo de "articular", e a "trama", expressão teatral referente ao enredo. O projeto da coordenadora Nieve Matos nasceu com o desejo de valorização e incentivo da produção da dramaturgia capixaba por mulheres. Durante seis meses, 14 mulheres totalmente diferentes umas das outras compartilharam suas vivências pessoais nos textos que compõem o e-book. Nieve explica que é importante colocar as mulheres em evidência, principalmente em espaços de predominância masculina.

"O e-book é uma forma de poder simbólico, mas também muito real. Conta com um grupo muito diversificado de autoras com interesses particulares, de geofísica nuclear ao movimento quilombola. A potência do ‘Elas Tramam’ está na diversidade, mulheres que não se conheciam e agora se encontram, trocam experiências e se valorizam. Isso é ótimo, principalmente em um estado violento que oprime a mulher", conta.

Meirele Lemos é uma das escritoras em "Elas Tramam"
Meirele Lemos é uma das escritoras em "Elas Tramam"
Foto: Divulgação

A incidência de violência contra mulher, inclusive, foi tema de um dos textos. O assunto "Não se nasce mulher, se morre" é de autoria da aspirante a dramaturga Meiriele Lemos, que nunca frequentou teatro, mas se identificou com os palcos em função de seu amor pela escrita. Ela diz que o texto é um alerta para as mulheres que não percebem, mas vivem em um relacionamento abusivo.

"Esse texto é o meu despertar, eu vivi por 18 anos em um relacionamento abusivo, não físico, mas psicológico. O nome da personagem é espectadora pois estava acostumada a viver somente o que marido dita a ela. Até que, de repente, desperta e sente que pode salvar outras mulheres dessa ilusão. O ‘Elas Tramam’ me ajudou a soltar um grito e a me libertar de coisas que pareciam pequenas. Me mostrou que mesmo que eu nao ganhe dinheiro com o que escrevo, essa é uma forma de me colocar. A gente precisa enxergar que as mulheres estão sofrendo," diz.

Lançamento do e-book "Elas Tramam"

Nesta sexta, dia 13, às 18hs, na Burlesqueria. Escadaria do Rosário, Vitória.

Ver comentários