Notícia

Você conhece a origem do termo "capixaba"?

A história do Espírito Santo é tão ligada à água que até o nome "capixaba", como gentílico de quem nasce no Estado, tem origem em uma fonte. O historiador Adilson Villaça lembra que a Fonte da Capixaba, localizada no Parque Gruta da Onça, no Centro de Vitória, foi o início de tudo.

Antes o nome capixaba já era utilizado pelos índios da região para designar roças de milho, mas somente as que estavam prontas para serem colhidas. "A palavra capixaba tem um belíssimo artigo, escrito em 1935 por Antonio Ataíde, para tratar do sentido semântico e dar a origem da palavra. Ela vem do caa, que é mato em Tupi, e piim. Caa piim, mato fino, delgado. Daí vem o capim. E junta o chaba, então grafado com "ch", que é o que é bom, gostoso, o melhor que tem", conta. "Caa piim e chaba quer dizer que o milho está bom, pronto para ser colhido, uma expressão de coisa boa que os índios usavam", complementa.

Ele também conta que, por um erro de comunicação nos primeiros diálogos entre os portugueses e os nativos, os colonizadores chegaram a entender que o termo "capixaba" era o nome que designava os próprios índios. Depois, descobriu-se as várias denominações, como Tupi, Guarani e Aimoré.

Ainda mais à frente no tempo, a água da Fonte da Capixaba, uma fonte que fornecia mais água do que a que pode ser vista hoje por meio de um pórtico no parque municipal, mas que não era abundante, foi utilizada para batizar pessoas.

"A água daqui começou a ser usada para batismo. Diz-se que quem recebia o batismo era chamado de capixaba. Mas também podemos acrescer que quem morava na região da capixaba começou a ganhar esse nome, independentemente de ter sido batizado com essa água da fonte ou não", diz Villaça.