Notícia

Copa das Confederações começa com uso intenso do vídeo na arbitragem

Neste domingo, foram dois gols anulados e um confirmado graças ao uso da tecnologia

Uso de VAR (Video Assistant Referee) em gol anulado do Chile (Foto: Reprodução)

A primeira rodada da fase de grupos da Copa das Confederações ainda nem acabou, mas os holofotes já estão no uso da tecnologia para auxiliar nas decisões da arbitragem. Neste domingo, foram três ocasiões em duas partidas em que a turma dos bastidores "soprou" no ouvido dos árbitros principais para mudar uma decisão chave nas partidas.

O primeiro árbitro a precisar do auxílio tecnológico foi o argentino Nestor Pitana. Ele anulou o que seria o primeiro gol de Portugal contra o México, já que fora ignorado um impedimento no lance que originou o gol. Foi apenas a primeira comemoração frustrada na rodada.

Intenso mesmo foi o trabalho da equipe escalada no Camarões x Chile. No último lance do primeiro tempo, Eduardo Vargas balançou a rede, comemorou, extravasou e ficou todo feliz. Mas aí o esloveno Damir Skomina ouviu a comunicação dos assistentes de vídeo, dando conta de que o atacante chileno estava adiantado no momento do passe de Vidal. Gol anulado de forma correta, o que desencadeou reclamação chilena.

Nos acréscimos do segundo tempo, Vargas - de novo ele - aproveitou a jogada de Sánchez e marcou o segundo gol. Ele até virou-se para o árbitro antes de comemorar, fez sinal de positivo e partiu para o abraço. Mas desesperou-se ao ver a bandeira levantada pelo assistente. Novamente a equipe do vídeo entrou em ação e, corretamente, validou o gol. Desta vez, comemoração por parte dos chilenos, em vez de reclamação.

Ou seja, o saldo foi de três acertos com o uso da tecnologia, o que ameniza a costumeira reclamação pós-jogo de jogadores e árbitros.

- O recurso é uma nova regra. Se funcionar para o bem do futebol, me parece algo bom. No começo, não entendi muito bem por que o gol tinha sido anulado. Depois me informei, mas havia muita confusão - disse o treinador português Fernando Santos.

Para Juan Pizzi, técnico do Chile, é preciso entender essa nova cultura no futebol.

- Em outra situação antes deste campeonato teria sido válido esse gol. Será necessário que passe algum tempo, que conheçamos essas novas sensações. No nosso caso, poderíamos ter ido ao vestiário ganhando por 1 a 0, mas entraram com um 0 a 0. Temos que dar uma certa margem para ver como se desenvolve isso tudo. A ajuda tecnológica e quantidade de gente que revisa as ações refletirão em maior justiça, ainda que a parte negativa será a parte emotiva para os jogadores - comentou o treinador.

Nesta segunda-feira, a primeira rodada da Copa das Confederações será completa com Alemanha x Austrália. Pelo andar da carruagem, vem mais participação da tecnologia por aí.