Notícia

Capixaba vai disputar Pan Americano de jiu jitsu em quatro categorias

Fred Zaganelli, de 36 anos, vai se arriscar na categoria até 100kg e na categoria sem limite de peso, em duas vertente do jiu jitsu: com e sem kimono. Competição acontece dia 29 de abril

 Fred Zaganelli vai disputar Pan Americano de Jiu Jitsu
Fred Zaganelli vai disputar Pan Americano de Jiu Jitsu
Divulgação

Nem bola de futebol, nem capoeira. Aos 12 anos, Fred Zaganelli atendeu, ainda que contra a vontade, o pedido do irmão para conhecer um treino de jiu jitsu. Levou uma chave de perna de um menino mais velho e ali, no suto, decidiu deixar os esportes que praticava de lado e se dedicar a arte suave. Vinte e quatro anos depois, o capixaba acumula títulos nacionais e internacionais, e se prepara para mais um desafio. No próximo dia 29 de abril, o lutador disputa o Pan Americano X-Combat de Jiu Jítsu e Submission Profissional, no ginásio Tancredão, em Vitória.

Fred ainda não conhece os adversários que terá pela frente, mas tem uma tarefa ousada para cumprir: lutar, e se possível vencer, em quatro categorias diferentes. Aos 36 anos, ele se arrisca na categoria até 100kg e na categoria sem limite de peso, em duas vertente do jiu jitsu: com e sem kimono.

"Me impressionei com o jiu jitsu já no meu primeiro contato com o esporte. Na luta sem kimono, procuro trabalhar as técnica de defesa pessoal e de luta olímpica. Com kimono uso a técnica do judô, com movimentações de solo, chave de perna e braço. O kimono pesa 3kg, a gente transpira mais, o corpo sente e a luta é mais desgastante. Só conheço meu adversário na hora, mas passei a maior parte da minha dentro do tatame. Estou pronto, em uma forma física excelente e vou entrar para vencer, ganhar a luta do começo ao fim", afirma.

Para aguentar a rotina com tantas lutas, os treinos são diários, sem folga aos finais de semana e feriados. Fred entra na academia às 5h30 e só volta para casa em definitivo depois das 21 horas. Por lá, treina e dá aulas.

"Chego na academia as 5h30 e dou muitas aulas durante o dia todo. Estou no tatame de segunda a segunda, não tenho sábado, domingo, feriado. Mas treino para valer as terças e quintas em quatro períodos. Eu acredito que estou bem saudável, forte, ainda dá para lutar em quatro categorias. O esporte me mantem jovem", garante.

Professor

Além do jiu jitsu, Fred domina outras lutas. Kickboxing, MMA, luta olímpica e judô estão na lista, o que permite que ele dê aulas para crianças, adultos, idosos e até para atleta olímpico. Nacif Elias, judoca capixaba que esteve nas Olimpíadas Rio 2016 como representante do Líbano, já foi aluno de Fred, em uma parceria que redeu conquistas aos dois.

 

"Treinar com um amigo é bem melhor. Nacif foi meu aluno de jiu jistu e meu professor de judô. A gente treinou junto por um bom tempo. Ele teve várias vitórias no judô por causa do jiu jitsu e eu tive várias vitórias por causa do judô. Muitas das nossas vitórias vieram por conta dessa parceria que a gente fez", revela.

Dono de uma academia em Vitória, o lutador também usa o esporte para transformar a vida de crianças e adolescentes. "Dou aula para meninas, crianças a partir de três anos, adultos e até idosos. Com os mais novos faço mais atividades lúdicas do que exercícios de luta, mas tem menino que chega na academia com comportamento ruim e vira outra criança depois do contato com o jiu jitsu. Isso é muito legal", conclui.

Perfil

Nome: Fred Zaganelli

Peso: 99 kg

Altura: 1,84 m

Principais títulos: Campeão Mundial pela Confederação Brasileira de Jiu Jitsu Olímpico (2012), Campeão brasileiro peso e absoluto categoria adulto faixa preta (2012), Campeão Sul Americano (2008), Campeão MMA Profissional Haidar Combat (2012) e Campeão do American Golden Cup (2016)

Jiu jitsu com kimono: semelhante ao judô, essa é a vertente mais desgastante do esporte. O atleta pode segurar no kimono do adversário e usar de opções como chave de perna e braço para derrubar o oponente no chão.

Jiu jitsu sem kimono: semelhante ao MMA, nessa vertante do esporte o atleta luta com bermuda e uma camisa de lycra. Não é permitido segurar na roupa do adversário para leva-lo ao chão. Nessa modalidade é comum a aplicação de técnicas de defesa pessoal e da luta olímpica.