Notícia

Convocada pela 1ª vez, capixaba defenderá o Brasil no Pan de Karatê

Tamilis Campi, de 19 anos, é a representante número um do Brasil na disputa do Pan Americano da modalidade, que começa no próximo dia 25, em Curaçao, ilha do mar do Caribe

Até outro dia, estar ao lado dos principais nomes do karatê era apenas um sonho. Na próxima semana, o desejo de Tamilis Campi, de 19 anos, começa a virar realidade. Pela primeira vez na seleção brasileira adulta, a capixaba é a representante número um do Brasil na disputa do Pan Americano da modalidade, que começa no próximo dia 25, em Curaçao, ilha do mar do Caribe.

Com três passagens pela seleção de base (2011, 2013 e 2015), Tamilis é primeira capixaba a conseguir uma vaga na seleção para defender o país em uma disputa individual. Mas antes da competição, a carateca ainda participa de um treinamento com a seleção em Londrina, no Paraná.

Tamilis Campi vai defender o Brasil no Pan Americano de Karatê
Tamilis Campi vai defender o Brasil no Pan Americano de Karatê
Foto: Marcelo Prest

"Estou bem animada para o treino. É uma concentração dos melhores atletas e técnicos do Brasil, uma forma de focar no Pan Americano. É estar entre os melhores, estou bem ansiosa. Sou a única atleta feminina do Estado que entrou na seleção adulta no kumitê (luta) individual. A Clau (Claudina Aguiar) já esteve na seleção, mas ela entrou na modalidade equipe. Eu me inspirava em muitas das atletas que vão estar na competição comigo. Sonhava com isso, mas não imaginava que ia acontecer tão rápido", comenta.

A capixaba é uma das atletas mais novas do Brasil na categoria sênior, que contempla atletas de 18 a 36 anos. Tamilis tem só 19 anos, disputa o Pan na categoria leve (menos de 50 kg) e terá adversárias experientes. Ser novata, no entanto, não preocupa a carateca.

"Muitas atletas da minha categoria tem medalhas a nível mundial. Estão ali há muitos anos, medalhando desde que eu era criança. Mas eu tenho a vantagem de ser um nome novo para elas. A idade média da categoria é de 25 anos, mas mesmo com isso tudo acho que tenho chances. Não sou inferior a nenhuma delas e treinei muito para chegar aqui. Não é por que eu não tenho a mesma quantidade de títulos que elas que sou inferior. Ser uma estreante desconhecida é até bom para mim, é só fazer minha parte", afirma.

Com média de quatro lutas na competição, Tamilis começa a disputa no Pan Americano no dia 26, quando acontecem as eliminatórias da categoria leve. Além da capixaba, o Brasil conta com Giovanna Feroldi (SC) na categoria. A competição conta com atletas de Chile, Venezuela, Canadá, México e Estados Unidos.

Tóquio é próximo sonho a ser realizado

Meta é terminar 2017 como a melhor do país
Meta é terminar 2017 como a melhor do país
Foto: Marcelo Prest

Chegar à seleção adulta é primeiro passo de um sonho muito maior. Com a karatê inserido na próxima Olimpíada, Tamilis promete brigar por uma vaga em Tóquio 2020. Para isso é preciso ir bem não só no Pan Americano, mas em todas as competições importantes dos próximos anos.

"Antes nossa dificuldade era estar na seleção brasileira, isso já consegui e agora ficou mais fácil. Mas para classificar para as Olimpíadas é preciso estar entre os 10 melhores do ranking mundial. Tem todas as eliminatórias antes. O Pan é um das competições que dá ponto para o ranking. Agora é ir competindo até Tóquio, me classificando e somando pontos para o ranking para chegar na Olimpíada", explica.

Ciente do caminho difícil que ainda tem pela frente, a capixaba quer dar um passo de cada vez. A próxima meta é terminar 2017 como a melhor atleta brasileira da modalidade.

"Um dos meus objetivos é terminar o ano em primeiro no ranking nacional na minha categoria. Dessa forma já vou ter minha vaga garantida na seleção brasileira ano que vem e também a vaga para os jogos Sul-Americano. Próximo passo ir bem nas competições nacionais e internacionais para ser a primeira do ranking", conclui.