Notícia

Primeiro e único título nacional de futsal foi conquistado há 25 anos

Em 1991, Saldanha derrotou os paulistas da General Motors por 5 a 4 e foi campeão brasileiro juvenil da modalidade

Se hoje o Álvares briga pela conquista de um título nacional, no passado o rival Saldanha foi o primeiro - e único -, clube capixaba a erguer a taça de campeão brasileiro de futsal. Em 1991, o time juvenil do alvirrubro derrotava a poderosa equipe da General Motors, de São Paulo, por 5 a 4, e surpreendia o país ao conquistar o título da principal competição nacional de futebol de salão.

A equipe daquele ano era comandada pelo técnico Toninho Marins, e contou com reforços do Álvares Cabral, entre eles o goleiro Pierre. O time titular tinha ainda Marcelo Dedão, Rochinha, Raphael Caliman e Silvinho. Pierre lembra bem daquela partida decisiva em Pelotas (RS), no dia 13 de julho, um sábado, véspera do seu aniversário de 17 anos.

"Faltando dois segundos para o fim do jogo, com o placar em 5 a 4, eles desperdiçaram o empate na cara do gol. O cara chutou e a bola foi para fora, passou um centímetro acima da trave. Lembro que antes do jogo eu cheguei a tirar foto das medalhas de ouro porque queria uma lembrança daquele dia, e não imaginava que a gente seria campeão. O Espírito Santo era tido como o grande azarão do torneio. Era um time completamente amador, que jogou a final sem o seu capitão e principal jogador (Silvinho). O Pandino, substituto dele, mal tinha entrado em outros jogos e fez três gols na final. Lembro dos caras da General Motors putos, porque tinham prometido um chevette para os jogadores mais velhos. Nosso prêmio pelo título foi uma pizza no final do jogo", conta.

Emprestado pelo Álvares, Pierre Almeida foi o goleiro do Saldanha na conquista do título nacional de 1991
Emprestado pelo Álvares, Pierre Almeida foi o goleiro do Saldanha na conquista do título nacional de 1991
Foto: Reprodução/Facebook

O jornal A Gazeta da época, em matéria sobre a conquista, destaca as dificuldades que o clube precisou superar para ser campeão: "Sem patrocinadores e verba em seu departamento de futebol de salão, os dirigentes tiveram que arcar com a maioria dos custos de transporte e alimentação dos atletas, que abriram mão de salários ou ajuda de custo".

A Copa do Brasil é um caminho para gente recomeçar
Pierre Almeida, ex-goleiro de futsal

Para Pierre, como no passado, é possível superar os desafios, voltar a vencer uma competição nacional e reerguer a modalidade no Estado. "A Copa do Brasil é um caminho para gente recomeçar. Ao longo desses anos houve uma defasagem técnica do Espírito Santo com relação aos times do Sul e de São Paulo, e por isso é possível que nas primeiras competições mais fortes a gente saia perdendo, mas isso faz parte do crescimento. É preciso organização dos clubes e pessoas competentes no comando do esporte. É passo a passo, não tem fórmula mágica", opina.

Ver comentários