Notícia

Frank Brown conquista 3º lugar na etapa do Mundial de parapente em SP

O resultado garantiu o capixaba na final do Mundial, que acontece em janeiro, em Roldanillo, na Colômbia

Mais uma conquista para a conta do parapentista capixaba Frank Brown. Melhor brasileiro, ele ficou em terceiro lugar na etapa do Mundial disputada em Água Santa, em São Paulo, no sábado passado. Além do prêmio individual, Frank ficou na segunda colocação por equipes, ao lado do brasileiro Samuel Nascimento e André Rainsford, da África do Sul, defendendo a Gin Gliders. 

Frank Brown, parapentista capixaba
Frank Brown, parapentista capixaba
Foto: Arquivo Pessoal

Com o resultado, Frank já se garante para a final do Mundial em janeiro, que acontece na cidade de Roldanillo, na Colômbia. A competição teve cerca de 100 participantes, de 20 países.

"Vinha um pouco desanimado, nem sabia se iria viajar para esta etapa, mas decidi ir e conquistei um resultado muito expressivo. Já estou credenciado para a final do Mundial. Realmente muito feliz por tudo e já pensando em janeiro", comentou Brown.

Frank Brown, parapentista capixaba fica com a terceira colocação na etapa do Mundial de Água Santa, SP
Frank Brown, parapentista capixaba fica com a terceira colocação na etapa do Mundial de Água Santa, SP
Foto: Arquivo Pessoal

Ao todo, foram sete dias de competição, e Frank voou 650km durante a etapa, com uma média de quatro horas diárias. Apesar do pódio, Frank garante que foi muito difícil a disputa.

"Estava muito frio e o céu estava muito azul. Havia muito sol na cara. Isso faz a gente cansar mais, se desgastar mais, porque você precisa se posicionar de maneira mais cautelosa. Sem as nuvens, você não tem as rotas, os caminhos do voo, o que dificultou a locomoção."

Quando não se tem nuvens, a umidade do ar fica mais baixa e não há o que os parapentistas chamam de "estrada de nuvem". As temperaturas também foram um dificultador desta etapa, que chegaram a ser bem baixas lá nos 3.400 metros de altura que os participantes atingiram.

"Depois de três, quatro horas de voo o frio realmente castigava muito. A temperatura chegou a 10ºC. Dava uma tremedeira na gente. Fui muito agasalhado. Dá para ver que praticamente só o nariz fica de fora", disse o capixaba. 

Ver comentários