Notícia

'Eu estava cega': relato sobre relacionamento abusivo comove web

Há dois meses, Elaine terminou a relação que mantinha com um homem que, segundo ela relatou, a xingava de "vadia"

Jovem comoveu web com relato sobre relacionamento abusivo
Jovem comoveu web com relato sobre relacionamento abusivo
Foto: Reprodução/Facebook

A experiência de passar por um relacionamento abusivo marcou um período conturbado na vida da produtora de vídeo Elaine Mastrodomenico, de 23 anos. Em um relato no Facebook, a jovem desabafou sobre o sofrimento que a sensação de aprisionamento, decorrente do ciclo de agressões e sucessivos pedidos de desculpas, lhe acometia, de acordo com informações do Blog Viral do Extra Online.

Leia mais:

- Veja os sinais de que você está em um relacionamento abusivo

Há dois meses, Elaine terminou a relação que mantinha com um homem que, segundo ela relatou, a xingava de "vadia" quando ia aos locais mais comuns do cotidiano. Além disso, ela ressalta que foi preciso coragem para registrar ocorrência na delegacia da mulher.

"Eu era 'vadia' por ir até a padaria, eu era uma 'p*' por ir buscar a minha irmã no metrô 23h, eu era uma 'vaca' por dormir e esquecer de avisá-lo, eu era uma 'desgraçada' por ver um filme e esquecer do meu celular por algumas horas", desabafou a jovem na publicação que vem comovendo a web desde terça-feira.

Com o objetivo de ajudar mulheres que passam por situações semelhantes, a produtora escreveu o post que já angariou mais de 90 mil reações na rede social e ultrapassou 40 mil compartilhamentos. "Hoje me sinto bem e confortável para compartilhar e falar sobre isso", disse Elaine, salientando ainda que superar o mal que o ex-namorado lhe causou não foi algo fácil.

"Eu apanhei, eu fui humilhada, eu fui maltratada, eu magoei pessoas que queriam o meu bem, eu estava cega e acreditava no amor", afirmou a jovem, após sofrer com os "apertões, sacudidas, chute na barriga, soco na nuca, soco no braço, tapa na cara, jogada no chão, cuspida no meu rosto", entre outras formas de violência física, conforme registrou em seu texto.

O ciclo de violência, que ocorria por meio das etapas "carinho, explosão, arrependimento e desculpas", a fazia se sentir culpada e envergonhada. Por isso, Elaine não contava para ninguém e guardava para si toda a dor decorrente do abuso físico e psicológico. "E isso se repetiu quatro vezes. Eu apanhei quatro vezes", escreveu. "Eu me esforçava para agradá-lo. Não conseguia!", acrescentou.