Notícia

Polícia identifica bandidos que arrombavam caixas eletrônicos no ES

Álvaro Garcia, 43 anos, Alessandro da Silva, 38, Genivaldo Alves, 45, e Roberto Júnior, 32, arrombaram cinco caixas em apenas dois dias

Polícia identifica quadrilha de ladrões de banco, de São Paulo, que arrombava caixas eletrônicos no ES
Polícia identifica quadrilha de ladrões de banco, de São Paulo, que arrombava caixas eletrônicos no ES
Foto: Reprodução

Quatro bandidos responsáveis pelo arrombamento de caixas eletrônicos em agências bancárias do Estado foram identificados e tiveram as prisões solicitadas pela Delegacia de Roubo a Banco (DRB), nesta sexta-feira (19).

Álvaro Garcia, 43 anos, Alessandro da Silva, 38, Genivaldo Alves, 45, e Roberto Júnior, 32, arrombaram cinco caixas em apenas dois dias. Os criminosos são paulistas.

De acordo com o delegado Nilton Abdalla, titular da DRB, a quadrilha agiu em quatro agências da Grande Vitória e uma em Linhares, sempre da mesma forma (veja vídeo abaixo).

Eles entupiam os terminais das agências com os próprios envelopes de depósitos e deixavam somente um terminal funcionando, para concentrar o dinheiro dos clientes.

Delegado Nilton Abdalla, titular da Delegacia de Roubo a Banco, na Divisão Patrimonial
Delegado Nilton Abdalla, titular da Delegacia de Roubo a Banco, na Divisão Patrimonial
Foto: Victor Muniz

A sabotagem aos caixas costumava acontecer às sextas-feiras, entre 18h e 22h, horário em que a agência está fechada, mas a área dos terminais não. No dia seguinte (sábado), eles efetuavam o furto.

“Como aquele caixa que sobrou concentrava as operações de depósito, ele estava cheio de dinheiro. A carenagem era arrombada com um pé de cabra e um dos criminosos pescava os envelopes com uma pinça”, explicou Abdalla.

Segundo o delegado, o responsável por planejar os crimes era Álvaro. Já Alessandro quebrava as carenagens dos caixas, Genivaldo pinçava o dinheiro e Roberto era quem sabotava os terminais.

A quadrilha é especializada nesse tipo de crime e existem registros de atuação dos quatro em diversos estados, de acordo com o chefe da DRB.

“Eles são de São Paulo, mas temos inquéritos contra eles abertos no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Norte. Aqui eles podem ter atuado em outros locais também”, ressaltou Abdalla.

O delegado ainda ressaltou que, caso clientes de bancos cheguem a uma agência e somente um caixa esteja funcionando, de forma suspeita, acionem o Ciodes.

“Nós temos uma equipe na delegacia disponível 24 horas por dia. Caso esse tipo de problema seja detectado, nós vamos ao local avaliar. A contribuição da população é fundamental”, disse.

Após a conclusão dos cinco inquéritos policiais, o delegado indiciou os criminosos por furto qualificado e formação de organização criminosa.

Caso a quadrilha seja presa e condenada, a pena pelos arrombamentos pode chegar até 100 anos de prisão.

Ver comentários