Notícia

Bandidos sequestram família e assaltam mulheres em Vitória

Após perseguição policial, dupla de bandidos é presa

Uma dona de casa de 51 anos e as duas filhas foram sequestradas durante um assalto, na tarde deste domingo (19), em Vitória. O carro delas foi levado por bandidos, que usaram o veículo para cometer um outro assalto, mas foram perseguidos pela polícia. Na fuga, um deles acabou baleado.

Em depoimento à polícia, a dona de casa contou que foi rendida junto com as filhas, de 23 e 20 anos, por volta das 17h30, por João Paulo Coutinho Lopes, de 19 anos.

> Vídeo mostra momento em que empresário é morto por bandido

A vítima relata que elas se preparavam para entrar no carro, um Celta prata, que estava estacionado próximo a uma loja, na Avenida Leitão da Silva. João Paulo simulou estar armado e inicialmente anunciou o assalto exigindo que as vítimas entregassem os pertences.

Entretanto, o ladrão acabou mudando de ideia e obrigou as vítimas a dirigirem por cerca de 20 minutos e depois seguirem até o Bonfim, onde ele mora. As três foram liberadas assim que chegaram ao bairro.

A Polícia Militar foi acionada e passou a procurar pelo veículo. Três horas depois, por volta das 20h30, a PM recebeu a informação de que dois homens, em um veículo com as mesmas características, tinham acabado de assaltar duas pessoas, em Jardim da Penha.

Segundo as vítimas, duas amigas de 28 e 22 anos, elas estavam nas proximidades de uma boate, na Avenida Saturnino Rangel Mauro, quando foram abordadas.

> 'Cadê os Direitos Humanos?', questiona irmã de jovem morto

 

João Paulo foi quem desceu do carro armado, e rendeu as duas. Uma das vítimas contou que o bandido chegou a encostar a arma na barriga dela, enquanto o outro fazia ameaças mandando ele atirar. Após roubarem os celulares das duas, os suspeitos fugiram do local.

Um cerco foi feito e o veículo localizado quando os bandidos passavam pelo cruzamento entre as ruas Padre Luiz Koester e a Engenheiro Rubens Bley, no Bairro da Penha.

> Leia mais matérias policiais

Um cerco policial foi montado e os suspeitos obrigados a parar. Porém, João Paulo e o comparsa, Gilson Tavares, de 52 anos, saíram correndo. Houve uma perseguição e os militares atiraram em direção aos dois, quando suspeitaram que João Paulo fosse atirar.

Gilson continuou correndo, mas também acabou capturado. Os dois foram autuados três vezes por roubo e levados para o presídio.

Ver comentários