Notícia

Capixabas participam de filme que mostra sonhos de estudantes

"Nunca me Sonharam" discute o valor da educação a partir da visão dos jovens

Cena de "Nunca me Sonharam",  que foi rodado em 8 Estados
Cena de "Nunca me Sonharam", que foi rodado em 8 Estados
Foto: Divulgação

A cena encheu de culpa o então professor de Matemática Rurdney da Silva. Ruas sem asfalto, chão batido de terra, casas de muro de madeira, recoberta com papelão. No chão da casa da família do aluno que ele fora visitar, mais chão batido, onde o estudante costumava realizar suas lições de casa.

Tempos antes de ver as condições onde o seu aluno vivia, Rurdney tinha lhe dado uma baita bronca porque, ao dar visto no caderno, notou que o material estava todo sujo. Só quando conheceu a realidade da família do menino, entendeu o motivo da sujeira.

“Isso me deixou muito chateado comigo mesmo pelo que eu fiz com ele em sala de aula na época. A compreensão de que nossos alunos têm uma bagagem antes de vir para a escola é muito importante para qualquer professor conseguir, a partir daí, ensinar algo, transmitir algo de novo para essa pessoa”, disse Rurdney, hoje diretor da Escola de Ensino Fundamental e Médio Prof. João Loyola, na Serra.

Essa é uma das declarações captadas pelo documentário “Nunca me sonharam”, produzido pela Maria Farinha Filmes e apresentado pelo Instituto Unibanco. O material mostra que para garantir a plenitude de aprendizado e de oportunidades, é preciso muito mais do que a simples existência de uma unidade escolar.

Como informa o Instituto Unibanco, o filme traça um panorama do ensino médio nas escolas públicas do Brasil sob diferentes pontos, principalmente dos estudantes.

O filme é dirigido por Cacau Rhoden e foi filmado em mais de dez Estados do Brasil, entre eles, o Espírito Santo.

EXPECTATIVA

Uma das entrevistadas no Estado foi a professora Alessandra de Carvalho, também da Escola de Ensino Fundamental e Médio Prof. João Loyola, na Serra. “Na hora das filmagens, eles me perguntaram sobre as expectativas dos estudantes depois que saem da escola. É muito angustiante para mim e para eles”, relata a professora.

Ela cita as frustrações de alunos com o período pós-escola. “Eles sabem que depois (de saírem da escola) não há mais a gente”, lamenta.

SOLUÇÕES

“Com o filme, queremos que as pessoas discutam sobre educação”, afirma Ricardo Henriques, superintendente do Instituto Unibanco.

Ele aponta que, ao usar a emoção para mostrar depoimentos de alunos, professores e de outros profissionais ligados à educação, a ideia é gerar empatia.

“O filme tenta demonstrar que não há uma só solução. A maioria é pelo caminho do diálogo, ouvindo a história do estudante. Não um só tipo de aluno. O filme não é para professores e para alunos. É para a sociedade”, diz o superintendente do Instituto.

 

O DOCUMENTÁRIO

“Nunca me Sonharam”

Direção: Cacau Rhoden

Produção: Maria Farinha Filmes

Distribuição: Maria Farinha Filmes

Apresentado por: Instituto Unibanco

Os interessados em assistir ao filme poderão acessá-lo, gratuitamente na plataforma online VIDEOCAMP. Endereço: www.videocamp.com/pt/movies/nuncamesonharam

CADASTRO

Os cadastros são liberados a todos que queiram promover sessões coletivas, com público mínimo de cinco pessoas. O filme está disponível para download ou exibição on-line, com legendas em inglês e espanhol.