Notícia

Traficante tenta atropelar policiais civis e acaba baleado

O bandido foi atingido no ombro e na perna direta após dar ré no veículo e tentar acertar os investigadores

Veículo utilizado por traficante que tentou atropelar policiais
Veículo utilizado por traficante que tentou atropelar policiais
Foto: Divulgação

Um traficante de drogas tentou atropelar policiais civis do Grupo de Operações Táticas (Got) da Polícia Civil e acabou baleado, durante operação realizada na noite de sexta-feira (14), em Divino Espírito Santo, Vila Velha.

O bandido, identificado como Igor de Oliveira Silva, 24 anos, foi atingido no ombro e na perna direta após dar ré no veículo e tentar acertar os investigadores.

De acordo com o delegado Fabrício Dutra, integrante da unidade, o Got recebeu denúncias anônimas sobre a atuação do criminoso na distribuição de drogas em bairros de Vila Velha.

Os policiais saíram em quatro viaturas e esperaram o momento em que Igor se preparava para entregar uma carga de maconha, para montar uma emboscada.

Assim que ele saiu de casa, por volta das 23h30, a bordo de um Fiat Strada prata, foi abordado e acabou reagindo, como conta o delegado.

“Nossos policiais passaram aperto. Mandaram ele sair do carro, ele deu ré para cima deles e quase os atingiu. Mandaram parar novamente e ele continuou acelerando. Então, atiraram”, afirmou Dutra.

No momento em que acelerou o carro pela segunda vez, Igor acabou atingindo e destruindo o muro de uma casa na Rua Ernani de Souza, local da abordagem.

O traficante foi levado ao Hospital Antônio Bezerra de Faria, onde foi socorrido e permanece internado, sob escolta de policiais.

Foram encontradas dentro do carro duas mochilas com 17 tabletes de maconha, que pesavam, no total, cerca de 14 quilos.

Além disso, ainda foram apreendidos materiais para embalo da droga e duas balanças de precisão. Segundo o delegado, as investigações sobre a distribuição dos entorpecentes continua.

“A gente sabe que ele iria entregar essa droga na região do Centro de Vila Velha, para algum comprador. Vamos continuar as investigações daqui para frente”, concluiu Fabrício Dutra.