Notícia

Eco101 rejeitou MP de socorro às concessionárias, afirma deputado

Segundo Paulo Foletto, empresa disse a autoridades capixabas que medida provisória não soluciona problemas do contrato

Trecho na BR 101, no município da Serra.  Pelo contrato assinado pela Eco101 em 2013, metade de toda a rodovia deveria estar duplicada
Trecho na BR 101, no município da Serra. Pelo contrato assinado pela Eco101 em 2013, metade de toda a rodovia deveria estar duplicada
Foto: Edson Chagas - 31/07/2017

A Eco101 já teve acesso ao texto da medida provisória de socorro às concessionárias de rodovias federais e deixou claro que a proposta não atende a seus interesses. “Na reunião que tivemos no Dnit em Vitória (em julho), os representantes da Eco101 já conheciam o texto da MP e um deles nos disse: ‘Já sabemos do texto, já conversamos com o governo federal e a MP não adianta nada’”, relembra o deputado federal Paulo Foletto (PSB).

O parlamentar diz ser verdade que a crise econômica impactou as concessões no país, mas não como motivo único: “E a Eco101 avisou ao governo estadual e aos parlamentares que não teria duplicação, que a duplicação é inviável”.

Leia também

Procurada, a concessionária reafirmou novamente nesta terça-feira (12) que não comentará a nova proposta que enviou à ANTT, na segunda-feira, para repactuar o contrato e as obras. A peça também está mantida atualmente em sigilo pela agência reguladora federal - tanto que a bancada federal, por meio da comissão fiscalizadora da Eco101 na Câmara, está requerendo por escrito à ANTT o acesso ao documento. A empresa também não comentou a MP a ser editada pelo presidente Michel Temer.

Já o senador Ricardo Ferraço vê com restrições a iniciativa do governo federal para evitar devolução de concessões: “Essa MP prorroga para depois de 2030 os prazos de duplicação que deveriam estar concluídas até o ano que vem! E quem vai se responsabilizar pelos acidentes que acontecerão até lá?”, indaga.

Ver comentários