Notícia

'Agradeço a Deus, mas fico triste pelas vítimas', diz sobrevivente

Caminhão que ele dirigia também começou a pegar fogo. Ele tentou sair, mas a porta do veículo não abria

Motorista de um dos caminhões envolvido no acidente na BR 101, em Viana, Fábio Junior
Motorista de um dos caminhões envolvido no acidente na BR 101, em Viana, Fábio Junior
Foto: Marcelo Prest

O motorista do caminhão envolvido no acidente da BR 101, em Viana, contou à reportagem o desespero que passou. Ele estava no meio da fila de veículos atingidos por uma carreta que, segundo a PRF, seguia em excesso de velocidade pela via. Identificado como Fábio Junior, ele fala sobre o desespero para conseguir sair do caminhão. 

"Eu não conseguia abrir a porta, mas consegui abaixar um pouco o vidro, uns 20 centímetros e passei. Estava pegando fogo na traseira do meu caminhão. Eu vi que tinha gente nos outros carros, mas o fogo estava muito quente. Eu estava muito nervoso e corri pra lá. Muitas pessoas juntaram para ajudar as vítimas. Rapidinho foi queimando tudo. Logo eu peguei um telefone emprestado com uma mulher que estava ali e liguei para a minha esposa. O número que eu sabia de cabeça era só o dela. No caminhão ficou documento, celular, ficou tudo. Não deu tempo de tirar. Eu nunca tinha me envolvido em um acidente assim".

Leia também

Apesar do acidente, Fábio conta que apenas teve um ferimento leve, vulgo "ralado". Segundo ele, o caminhão estava sem carga. "Tem uns três anos ou mais que eu trabalho com caminhão. Eu não estava transportando nada, o caminhão estava vazio. Eu tenho que agradecer a Deus. Eu fico aliviado que eu consegui sair e não aconteceu nada comigo. Mas fico muito triste pelas vítimas. Morreram inocentes, sem saber de nada. É muito triste para a família", finalizou.

O ACIDENTE

Quatro pessoas morreram, três delas carbonizadas, no grave acidente na BR 101, em Viana, no fim da manhã desta quarta-feira (11). A colisão envolveu nove veículos, sendo duas carretas, um caminhão e seis carros. 

 

 

Ver comentários