Notícia

Dnit admite: não tem nada de "bom" na BR 262

É o que diz um estudo do Dnit sobre a estrutura das rodovias

Bueiro aberto em plena BR 262 causa prejuízos e põe vidas em risco
Bueiro aberto em plena BR 262 causa prejuízos e põe vidas em risco
Foto: Vitor Jubini | GZ

Um levantamento realizado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) confirmou aquilo que os motoristas que utilizam diariamente a BR 262 no Espírito Santo já sabem: quando o assunto é qualidade, não há nada de bom na rodovia. De acordo com a classificação proposta no relatório, que varia entre “bom, regular, ruim e péssimo”, a infraestrutura oferecida na rodovia é ruim e péssima.

Em alguns trechos, classificados como péssimos, o órgão inclusive recomenda que será necessário não somente recapear a via, mas recuperar toda a estrutura do asfalto.

O indicador usado para classificar as condições das estradas, Índice de Condição de Manutenção (ICM), foi desenvolvido pela própria equipe técnica do Dnit para avaliar todas as BRs. São levadas em conta características como os buracos, trincas no asfalto, remendos, falta de locais para ultrapassagem e mato no acostamento. O índice encontrado pode variar entre, bom, regular, ruim e péssimo.

24

É o número de locais críticos na via, sendo 18 considerados ruins e seis como péssimos

Segundo o mapa disponibilizado pelo Dnit no relatório, na BR 262 no Espírito Santo, o estudo aponta seis locais considerados péssimos para o tráfego de veículos, nos municípios de: Ibatiba (02), Venda Nova do Imigrante (01), Marechal Floriano (02) e Domingos Martins (01). E 18 pontos considerados ruins em: Irupi (02), Ibatiba (04), Venda Nova do Imigrante (05), Marechal Floriano (05) e Domingos Martins (02). Questionado durante toda esta terça-feira (3) por A GAZETA, no entanto, o Dnit não informou os quilômetros específicos onde estão esses trechos citados pelo estudo.

Na Grande Vitória, um problema no trecho da rodovia em Cariacica tem dado prejuízos a motoristas. É que um bueiro sem vedação se transformou em uma cratera na região que fica em frente a um shopping da cidade.

Caminhonete teve pneus danificados depois de passar em bueiro aberto na 262
Caminhonete teve pneus danificados depois de passar em bueiro aberto na 262
Foto: Reprodução

O local virou uma armadilha para os motoristas. Um deles, que seguia com sua Hillux na tarde desta terça, acabou não vendo o buraco – que não está sinalizado – e acabou caindo com o veículo. Com o impacto, tanto o pneu traseiro quanto o dianteiro furaram e o veículo ficaram danificados.

LEVANTAMENTO

De acordo com o Dnit, 70% das rodovias federais do país apresentam boas condições para tráfego. A BR 262 no Estado está entre os 30% que têm estradas em condições ruins ou péssimas, segundo o levantamento.

O levantamento nacional feito pelo Dnit foi realizado quilômetro por quilômetro em toda a extensão da rodovia. Técnicos percorreram toda a extensão da BR a 60 km/h, com ferramentas de georreferenciamento, que monitoraram as condições da via por satélite.

A análise leva em consideração a ocorrência e também a frequência dos defeitos no pavimento, o chamado índice de pavimento. Além disso, para estabelecer o estado de conservação da rodovia, são levados em conta a altura da vegetação, as condições dos dispositivos de drenagem e a sinalização da BR.

CLASSIFICAÇÃO

O índice é definido a partir da soma do índice de pavimento com o índice da conservação, sendo que o primeiro tem peso maior na conta. Quando o valor encontrado é menor do que 30, a rodovia apresenta “bom” estado de manutenção e requer apenas serviços de rotina. Entre 30 e 50, a rodovia apresenta situação “regular” e requer serviços de conservação leves.

No caso da BR 262, as classificações foram “ruim”, entre 50 e 70, exigindo manutenção pesada de nível 1, e péssima, acima de 70, exigindo serviços de conservação pesados de nível 2, considerado mais profundo.

Em nota, o DNIT informou que está ciente da situação da região e que uma empresa de manutenção foi acionada para providenciar a sinalização e a resolução do problema. Caso o prazo determinado não seja cumprido, a empresa será multada.

Após cinco meses de atraso, obras de duplicação não saem no papel

As obras de duplicação e reparo em rodovias capixabas são muito aguardadas pelos condutores que trafegam no local. As condições da BR 262, classificada em alguns pontos como ruim e até péssima, preocupam moradores da região, que cobram as muitas promessas de melhoras que já foram feitas.

As condições da BR 262 são classificadas, por estudo do Dnit, em alguns pontos como ruim e até péssima
As condições da BR 262 são classificadas, por estudo do Dnit, em alguns pontos como ruim e até péssima
Foto: Guilherme Ferrari

A proposta inicial do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) era iniciar as obras em abril. Depois, o prazo foi prorrogado para maio. Em seguida, empurrado para agosto. Agora, a promessa é de que as obras comecem a partir da próxima segunda-feira, dia 9.

Leia também

O departamento afirmou que, nos anos de 2012 e 2013, as estradas brasileiras passaram por revitalização, por isso chegaram em 2015 em boas condições. Em 2016, com a crise, não foi possível investir em pequenos reparos que seriam necessários para manter as rodovias com a estrutura classificada como boa.

O Dnit reconheceu ainda que, em 2017 e 2018, intervenções mais significativas serão necessárias para recuperar as condições do pavimento. Sobre essas melhoras, o departamento afirmou que em alguns trechos considerados péssimos obras de reparos e melhorias já estão sendo feitas.

PROMESSA

As obras da rodovia 262, que dependiam apenas da liberação ambiental, começarão na segunda-feira. “Cerca de R$ 80 milhões já foram empenhados para essa obra, e outros R$ 15 milhões estão previstos. A obra vai se estender por 8 quilômetros na região do trevo de Paraju”, afirmou o deputado federal Lelo Coimbra (PMDB).

O contrato previa obras em 52 quilômetros. Inicialmente, os recursos conseguirão custear somente 8 quilômetros. No orçamento de 2018, estarão previstas verbas para o restante.

O Dnit afirmou que, no período das férias, quando o volume de tráfego na BR 262 aumenta significativamente, as obras de duplicação serão paradas para não atrapalhar o fluxo de veículos.

Setor do turismo preocupado com BR

A situação da rodovia preocupa os empresários do setor de turismo da região, que em agosto deste ano, cansados com os prejuízos causados pelas crateras se juntaram para tapar buracos. O verão e o período de chuvas preocupam ainda mais os comerciantes e donos de pousadas da Região Serrana.

Segundo Valdeir Nunes, vice-presidente do Conselho Estadual de Turismo, com os buracos a situação da rodovia pode afastar os turistas. “Isso está prejudicando o turismo em vários aspectos. No feriado a expectativa é o aumento dos turistas, e o transporte de cargas não vai parar. Então, os turistas acabam voltando antes.”

De acordo com o presidente da Associação Turística de Pedra Azul, Jorge Uliana, a BR 262 só chegou a esse ponto, pois ao longo dos anos não foi feito o serviço de conservação necessária nas pistas. “A BR 262 é a principal via de acesso dos turistas. Ocorre que a rodovia já devia ter sido duplicada ou sofrido intervenções há alguns anos. Ela está muito esburacada e com muito mato nas margens. Já é uma rodovia de muita tensão e perigosa. Não sendo bem cuidada, o perigo pode ser maior”, afirmou

Senado vai convocar presidente da ANTT para falar sobre a 101

A Comissão de Infraestrutura do Senado aprovou ontem requerimento do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) convocando o diretor-geral da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), Jorge Bastos, para explicar os atrasos das obras da BR 101. O parlamentar tenta agendar a ida do dirigente ao colegiado para a próxima semana.

Bastos, da ANTT: ida deve ser na semana que vem
Bastos, da ANTT: ida deve ser na semana que vem
Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

“Não podemos deixar este assunto de lado até que aconteça o próximo acidente na BR 101, até porque a ANTT ainda não decidiu nada acerca da revisão do contrato de concessão pedida pela concessionária”, argumenta Ferraço. Cabe à comissão sabatinar e, depois, acompanhar a gestão dos indicados ao comando das agências reguladoras do governo federal, como é o caso da ANTT.

O tucano fez acordo com o presidente do colegiado, Eduardo Braga (PMDB-AM), que assumiu compromisso de acelerar a convocação. “Vou questionar o diretor-geral da agência sobre essas questões, o contrato, as metas. A ANTT, a meu juízo, está sendo leniente, negligente e omissa, e não vou permitir que esse assunto caia no vazio”.

Após pressão de políticos capixabas em meio a mortes causadas na BR ainda não duplicada, o presidente Temer tirou Bastos das férias e cobrou soluções. Até agora, houve um acordo entre Bastos e o grupo EcoRodovias, que controla a Eco101, para retomar as obras paradas previstas para 2017 e 2019. (Rondinelli Tomazelli)

 

 

Ver comentários