Notícia

Major da PM ferido na 101 avisou que arma poderia disparar com o fogo

Tiros acidentais são comuns em incêndios. Anderson Simas de Oliveira voltava de um evento

Foto: Reprodução

Ao ser resgatado, o major Anderson Simas de Oliveira, do 3º Batalhão da Polícia Militar de Alegre, demonstrou preocupação que sua arma disparasse por causa do fogo e ferisse alguém no local. Os disparos realmente aconteceram.

Imagens do resgate do major estão circulando pelas redes sociais. Nelas, o de 43 anos, aparece sendo conduzido enquanto protege o próprio rosto. Anderson Simas foi levado para o Vitória Apart Hospital, onde passou por uma bateria de exames e foi internado.

“O PM mesmo ferido avisou que a arma estava dentro do veículo e disse que existia a possibilidade de disparo, já que em incêndios isso pode acontecer. Foi um ato heroico”, explicou o inspetor da Polícia Rodoviária Federal, Macedo Miranda.

Leia também

Segundo uma amiga da família do militar, o major teve queimaduras de segundo grau. Já militares de Alegre informaram que além das queimaduras nos membros superiores, também sofreu forte pancada na cabeça e ombro.

VOLTA DE CURSO

Segundo o comandante do 3º Batalhão da Polícia Militar de Alegre, tenente Coronel Emerson Caus, as informações sobre o estado de saúde do major são que de seu quadro é estável. “A esposa dele foi para o hospital. Ele é subcomandante aqui. Foi na formatura Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais, pois foi representar o comando. Dois capitães que se formaram são aqui do Sul, de Alegre”, contou.

Caus conta ainda que ele é quem iria representar o comando em Cariacica, mas optou por enviar o major para o evento. “Era até para eu ir, mas acabei mandando ele. Foi sozinho em uma viatura da Polícia Militar. Ele estava retornando”, disse.

 

 

Ver comentários