Notícia

Tragédia na BR 101: imprudência, prisão e famílias despedaçadas

Quatro pessoas morreram, três delas carbonizadas. Motorista apontado como causador de tragédia foi preso e há a suspeita de que ele mexia no WhatsApp na hora do acidente

Foto: Whatsapp | Gazeta Online

Quatro pessoas morreram e cinco ficaram feridas em um grave acidente no quilômetro 304 da BR 101, em Viana, no fim da manhã desta quarta-feira (11). Às 11h50, seis carros, duas carretas e um caminhão se envolveram na colisão seguida de um incêndio.

O condutor da carreta, Wesley Mantovanelli, de 45 anos, foi preso no fim da tarde, apontado como causador da tragédia. Ele foi levado para a Delegacia de Delitos de Trânsito, onde foi autuado por homicídio culposo — quando não há intenção de matar — e foi encaminhado para o Centro de Triagem Viana.

O delegado Alberto Roque Peres, que autuou Wesley, suspeita que o motorista usava o WhatsApp na hora do acidente. O aparelho foi encaminhado para perícia.

(A cobertura da tragédia na BR 101 teve a colaboração dos jornalistas da Redação Multimídia Caíque Verli, Elis Carvalho, Victor Muniz, Vilmara Fernandes, Lara Rosado, Danielli Saqueto, Siumara Gonçalves e Bianca Vaillant e dos fotógrafos Marcelo Prest e Carlos Alberto Silva)

DINÂMICA DO ACIDENTE

Wesley Mantovanelli dirigia a carreta a 85 km/h, quando atingiu uma fila de oito veículos que estava à frente. A velocidade máxima permitida na via é de 60 km/h. Após o impacto, houve um incêndio.

Foto: Whatsapp | Gazeta Online

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), das quatro vítimas que morreram, uma estava no Renault Clio, duas estavam no Peugeot e outra em um Prisma. Três delas morreram carbonizadas. A quarta chegou a ser atendida no local do acidente, mas acabou morrendo. O Corpo de Bombeiros informou que cinco feridos foram resgatados e encaminhados a hospitais.

De acordo com a auxiliar administrativa Juliana Falcão, funcionária do posto Canaã, que fica localizado próximo ao local do acidente, acontecia uma blitz no momento da colisão. Ela estava aguardando a van escolar da filha e presenciou o momento em que uma carreta não conseguiu parar, bateu em outros veículos e explodiu. Uma câmera flagrou a batida e a polícia divulgou as imagens na noite desta quarta-feira (11)

IMAGENS IMPRESSIONANTES

 

POLÍCIA SUSPEITA QUE MOTORISTA USAVA WHATSAPP

Segundo o delegado Alberto Roque,  embora o motorista tenha dito à polícia que se distraiu ao olhar para um posto de gasolina, o delegado diz que há indício de uma outra situação: Wesley estaria usando o WhatsApp na hora do acidente.

Segundo análises preliminares, dois grupos no WhatsApp de motoristas de caminhão, no horário do fato, às 11h50, estão apagados. As demais conversas estão normais. Isso é indício de que ele estava usando o celular e apagou os grupos para ocultar a prova. O aparelho foi encaminhado para a perícia
Delegado Alberto Roque

Roque informou ainda que a carreta pertence a uma empresa e que Wesley é funcionário dela. O motorista seguia de Cariacica com destino a Viana, onde disse que faria uma revisão de rotina em uma oficina. Segundo o delegado, tais informações serão averiguadas e o laudo do acidente deve ficar pronto em 30 dias.

O PEDIDO DE DESCULPAS

Foto: Carlos Alberto Silva | GZ

O motorista apontado como causador da tragédia na BR 101, em Viana, nesta quarta-feira (11), pediu desculpas às famílias que perderam entes queridos. Preso e autuado por homicídio culposo, Wesley Mantovanelli, 45 anos, falou rapidamente com a imprensa, após passar por exames de rotina no Departamento Médico Legal (DML).

"Tudo que eu pedir de desculpas não vai consertar, mas peço desculpa do fundo do coração. Eu nunca quis, em momento algum, fazer o que aconteceu". Questionado se mexia ao celular, como suspeita a polícia, Wesley negou: "Felizmente eu não estava. Eles vão provar isso aí".

VÍDEO

As imagens são de Carlos Alberto Silva

 

 

OS MORTOS

A diretora do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Manoel Evêncio, Maria de Lourdes Coutinho Passos, foi uma das vítimas do trágico acidente na BR 101, em Viana. Lurdinha, como era carinhosamente chamada, trabalhava havia 17 anos na Prefeitura de Viana.

Maria de Lourdes Coutinho Novaes, diretora do CMEI Manoel Evêncio, em Viana
Maria de Lourdes Coutinho Novaes, diretora do CMEI Manoel Evêncio, em Viana
Foto: Facebook

O velório dela é realizado na escola onde trabalhava, no bairro Vila Bethânia, em Viana, na noite desta quarta-feira (11). O corpo será enterrado nesta quinta-feira (12), no cemitério Parque da Paz, em Cariacica. Ainda não há informação de horário do sepultamento.

A segunda vítima identificada foi o técnico de informática Jadson Aguiar de Siqueira, de 34 anos. A informação foi confirmada por um parente dele, que esteve no Departamento Médico Legal.

O técnico de informática Jadson Aguiar de Siqueira está entre as vítimas do acidente na BR 101, em Viana
O técnico de informática Jadson Aguiar de Siqueira está entre as vítimas do acidente na BR 101, em Viana
Foto: Facebook

As outras duas pessoas que morreram na colisão ainda não tiveram os nomes divulgados.

OS SOBREVIVENTES

O motorista de caminhão Fábio Junior contou o desespero que passou para conseguir sair do veículo que começou a pegar fogo.

FábioJunior, motorista do caminhão que sobreviveu ao acidente
FábioJunior, motorista do caminhão que sobreviveu ao acidente
Foto: Marcelo Prest

"Eu não conseguia abrir a porta, mas consegui abaixar um pouco o vidro, uns 20 centímetros e passei. Estava pegando fogo na traseira do meu caminhão. Eu vi que tinha gente nos outros carros, mas o fogo estava muito quente. Eu estava muito nervoso e corri pra lá. Muitas pessoas juntaram para ajudar as vítimas. Rapidinho foi queimando tudo. Logo eu peguei um telefone emprestado com uma mulher que estava ali e liguei para a minha esposa. O número que eu sabia de cabeça era só o dela. No caminhão ficou documento, celular, ficou tudo. Não deu tempo de tirar. Eu nunca tinha me envolvido em um acidente assim".

Fábio estava no caminhão atingido pela carreta que seguia em excesso de velocidade pela via, segundo a PRF. Aliviado por ter conseguido sair praticamente ileso, apenas com um ralado, o motorista disse que fica muito triste pelas pessoas inocentes que morreram.

O major Anderson Simas, do 3º Batalhão de Polícia Militar, de Alegre, região do Caparaó, é um dos cinco feridos no acidente. Ele voltava para casa, que fica no interior do Espírito Santo, após participar de Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais, durante a manhã desta quarta-feira (11), em Vitória. Com ele, estava um tenente da PM, que não ficou ferido.

Major da PM sendo socorrido após acidente na BR 101
Major da PM sendo socorrido após acidente na BR 101
Foto: Reprodução

Segundo a assessoria de imprensa da PM, o major foi levado ao Vitória Apart Hospital.

AMPLIAÇÃO DA BR 101

O local onde ocorreu o acidente com está em trecho duplicado, mas, mesmo assim já deveria ter recebido obras de ampliação. É o que está previsto no contrato de concessão assinado em 2013, com a Eco101.

A localidade está incluída no chamado "Subtrecho E", que vai do quilômetro 255,8 até o 305,8. De acordo com o Plano de Exploração Rodoviária (PER), que acompanha o contrato de concessão, em parte deste trecho será necessário realizar uma ampliação da área já duplicada, numa extensão de 3,1 quilômetros. As novas obras compreenderiam o trecho que vai do quilômetro 302,7 ao 305,8, e o acidente ocorreu neste intervalo, no KM 304.

Local do acidente na BR 101, em Viana
Local do acidente na BR 101, em Viana
Foto: Marcelo Prest

Segundo tabela constante no PER, estas obras teriam prazo final de conclusão até o quarto ano de concessão. Este é um período que teve início no momento da assinatura do contrato, ocorrida em maio de 2013 e, portanto, sempre é contado para estabelecer os prazos da concessão, de maio a maio. Assim, o quarto ano da concessão terminou em maio deste ano. Era neste período que, segundo o estabelecido em contrato, as obras deste trecho já deveriam estar concluídas.

Por nota, a concessionária Eco 101 informou "que deve duplicar 3,1 quilômetros no subtrecho E, que iniciam no trevo com a BR 262 (atual km 305) até o km 308,1". Acrescenta que no início da concessão os marcos quilométricos de todo trecho da BR 101 foram por ela corrigidos.

"A duplicação anteriormente prevista do km 302,7 ao 305,8, após a correção, passou a ser do km 305 ao km 308,1", diz em nota. A concessionária afirma ainda que no km 304, local onde ocorreu o acidente, "a rodovia está duplicada nos dois sentidos, possui barreira rígida fixa que faz a separação entre as quatro pistas, sinalização horizontal e vertical adequadas e boas condições de pavimento".

Por último, acrescenta que "no primeiro ano de concessão, em 2014, a Eco 101 implantou na via em que ocorreu o acidente cerca de 3 km de vias marginais paralelas a via já duplicada", diz o texto da nota da concessionária.

UMA MORTE A CADA DOIS DIAS NA BR 101

Uma morte a cada dois dias. Esse é o cenário da BR 101 desde o início do ano. Até esta quarta-feira (11) já foram registrados um total de 145 mortes nos 460 quilômetros da rodovia que corta o Espírito Santo. Neste total estão incluídas as quatro vítimas do grave acidente ocorrido nesta tarde em Viana.

O cálculo das mortes na estrada considerou o levantamento da Polícia Rodoviária Federal (PRF) até o último dia 27 de setembro, acrescido de informações da reportagem de A GAZETA. Os números revelam ainda que ocorreu uma morte na rodovia a cada três quilômetros.

Acidente na BR 101, em Viana
Acidente na BR 101, em Viana
Foto: Marcelo Prest

DÉCADA

Se for considerar as estatísticas da PRF, desde 2007, a BR 101 capixaba já matou 2.338 pessoas. Isso corresponde a mais da metade dos habitantes de Divino São Lourenço (4.612), no Sul do Estado. Na prática, porém, a estatística de vítimas pode ser ainda maior, já que a polícia contabiliza apenas as mortes que ocorreram na via. Não entra no cálculo os casos em que a pessoa morreu, após ser socorrida, mas em decorrência do acidente.

Ver comentários