Notícia

Como blindar o seu dinheiro neste período de crise política?

Especialistas dão dicas para poupador se proteger das oscilações do mercado

Analistas explicam que, para obter ganhos no mercado financeiro,  o ideal é montar uma carteira de investimentos diversificada e ter visão de longo prazo
Analistas explicam que, para obter ganhos no mercado financeiro, o ideal é montar uma carteira de investimentos diversificada e ter visão de longo prazo
Foto: Divulgação

O tsunami político, que devastou o mercado financeiro nesta quinta-feira (18), deve continuar a provocar oscilações no humor dos investidores. Diante do quadro de incertezas — ninguém sabe se o presidente Michel Temer vai permanecer ou deixar o cargo — o poupador deve ter cautela ao aplicar seus recursos em determinados ativos. O melhor, neste momento, na visão de analistas, é buscar formas para proteger o dinheiro de revelações futuras, que podem ser ainda mais comprometedoras para o governo.

> Acompanhe aqui todas as notícias sobre a crise política

Para aqueles que têm dinheiro na bolsa, o analista Paulo Henrique Correa, sócio da Valor Investimentos, sugere a manutenção dos papéis e a compra de derivativos para blindar a carteira. “Ninguém sabe de onde vem essa fumaça que se espalhou pelo país e qual o seu impacto. O investidor pode fazer um hedge, com opções de venda dessas ações para não perder dinheiro caso haja uma queda brusca na rentabilidade. Esse derivativo pode atingir parcialmente o valor aplicado. Não precisa ser total”.

Os investimentos em fundos multimercados, segundo Correa, não devem ser resgatados, pois boa parte dos gestores tem atuado para dar segurança aos cotistas. “Não é hora de mexer. O investidor precisa confiar que as providências têm sido tomadas.”

Quem reservou uma quantia para aplicar, no entanto, deve fugir, a princípio, da renda variável e apostar na renda fixa com taxa pós-fixada, indexada à inflação, se tiver um perfil mais conservador. “É muito mais prudente seguir esse caminho. Quando o cenário for clareando, a pessoa pode pré-fixar ou ter um posicionamento mais agressivo no mercado”, acrescenta Correa.

O economista e analista da corretora Multinvestor, Thomas Giuberti, explica que o mercado financeiro viveu um dia devastador por ter precificado o escândalo de corrupção envolvendo o presidente Michel Temer.

“O cenário que todo mundo trabalhava era de retomada da economia, de inflação, risco Brasil e taxa de juros baixos. Havia uma perspectiva benigna. Então veio a informação, e o mercado ficou estressado, o dólar disparou e a bolsa caiu. Hoje (nesta sexta-feira), a situação começou a se acalmar, mas ainda há muitas desconfianças.”

Giuberti diz que tem orientado os clientes que vão aplicar algum recurso neste momento a optarem pelo Tesouro Direto, que elevou as taxas em quase um ponto percentual hoje por causa da expansão da taxa de juros futura. As operações do sistema chegaram a ser interrompidas nesta manhã por causa da alta volatilidade das taxas de juros dos títulos públicos.

“A taxa pré-fixada que estava em 10% ao ano passou para 11%. Para quem quer taxa pós-fixada, o papel vinculado à inflação, além de pagar o IPCA oferece agora retorno no ano de 6%, antes estava na faixa dos 5% ao ano”.

O dia trágico, como foi chamada esta quinta-feira, o Ibovespa fechou em queda de 8,83%, mas chegou a apresentar retração de mais de 10% no início do pregão, levando a bolsa a acionar o circuit breaker, mecanismo usado para paralisar as negociações em 30 minutos até os ânimos dos investidores se acalmarem.

Nesta sexta-feira, a bolsa viveu um momento para corrigir as perdas da quinta-feira. Até as 16h15, o movimento, mesmo que de valorização, era de cautela e mantinha o Ibovespa na marca dos 62.546 pontos (1,52% de alta), porém, ainda bem distante dos 68 mil pontos do início desta semana.

Até as 16h15, pelo menos cinco das blue chips (empresas com as ações mais negociadas) na B3, antiga BM&FBovespa, estavam com ganhos entre 1,53% e 4,32%. A maior alta entre os papéis era do Banco do Brasil ON.

O que fazer agora?

Se tem investimento em ações

Mantenha seu dinheiro aplicado nesses papéis até o mercado se acalmar. Para proteção, é possível fazer um hedge da sua carteira, ou seja, comprar opções de venda das ações que você detém mesmo que num valor parcial.

Se tem investimento em multimercado

Não se preocupe tanto. Os gestores dos fundos têm tomado providências para evitar perdas para os cotistas. O melhor é deixar o dinheiro como está.

Se tem investimento em renda fixa

Não vale a pena retirar o dinheiro dessas aplicações somente para comprar ações, porque houve certa queda no preço dos papéis. O ideal é manter o dinheiro onde ele está.

Se você vai investir

A melhor opção agora, neste momento de incerteza, é apostar na renda fixa, como CDBs e no Tesouro Direto. Os títulos públicos, aliás, tiveram leve alta na taxa de juros pagas ao investidor.

 

Ver comentários