Notícia

Governo estuda privatizar Aeroporto de Vitória

A ideia é fazer uma concessão em bloco, ou seja, licitar um aeroporto com grande movimentação

Novo aeroporto está com mais de 80% das obras concluídas. Quando finalizado, terá seis pontes de embarques e capacidade para até 8,4 milhões de passageiros por ano
Novo aeroporto está com mais de 80% das obras concluídas. Quando finalizado, terá seis pontes de embarques e capacidade para até 8,4 milhões de passageiros por ano
Foto: Edson Chagas

A privatização do Aeroporto de Vitória voltou a ganhar força. O governo federal estuda uma concessão do Eurico de Aguiar Salles juntamente com outro terminal de maior porte.

A ideia é fazer uma concessão em bloco, ou seja, licitar um aeroporto com grande movimentação, e a empresa que ganhar a disputa também ficará responsável por terminais menos rentáveis.

Na última semana, o ministro dos Transportes, Maurício Quintella Lessa, disse, conforme matéria publicada pelo jornal “O Globo”, que há um “indicativo forte” de que o governo vai conceder à iniciativa privada, em 2018, o Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro.

“Há um indicativo forte de que o governo encaminhará para concessão os aeroportos do Santos Dumont e de Macaé, dois ativos muito importantes que gerarão outorga e investimentos no Estado do Rio”, afirmou o ministro.

Segundo fontes do governo, a proposta é que, quem vencer o leilão do Santos Dumont também leve, no pacote, o terminal de Macaé e os aeroportos de Jacarepaguá (RJ), da Pampulha, em Belo Horizonte, e o de Vitória.

“O Santos Dumont é o filé, e nos demais temos aeroportos deficitários, mas que juntos podem ser superavitários e atrativos”, avaliou uma fonte do governo, que pediu o anonimato.

Com movimento de 9 milhões de passageiros em 2016, o Santos Dumont é o segundo ativo mais valioso da Infraero, depois de Congonhas, em São Paulo, que registrou 20,81 milhões de passageiros no ano passado.

ARRECADAÇÃO

Leia também

A estimativa é que a União possa arrecadar com o leilão em bloco do Santos Dumont ao menos R$ 2 bilhões, que poderiam ajudar governo em seus compromissos fiscais. Há um esforço dentro do governo para definir logo os últimos detalhes do leilão para tentar acelerar e antecipar o certame. Uma data ventilada até o momento é realizar o leilão até junho do ano que vem.

Outro ponto que ainda está sendo avaliado pelos técnicos do governo é o melhor modelo a ser utilizado, concessão ou privatização. “Falta uma posição final se será concessão ou privatização. Os técnicos defendem uma concessão por ser um modelo já estabelecido, conhecido e mais ágil”, disse a fonte, ao lembrar que os terminais que vêm sendo entregues pelo governo à iniciativa privada nos últimos anos foram pelo modelo de concessão.

Procurado pela reportagem, o Ministério dos Transportes informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que ainda não há uma definição oficial sobre o tema, mas confirmou que a pasta, em conjunto com outros órgãos, tem realizado estudos para a concessão de aeroportos, incluindo o de Vitória.

Com agências 

O AEROPORTO

As obras do novo Aeroporto de Vitória estão previstas para serem concluídas em dezembro deste ano, e os primeiros voos a partir de janeiro  de 2018;

Segundo a Infraero, o novo terminal de passageiros está com mais de 80% de execução das obras;

Quando estiver pronto, o novo terminal de passageiros terá 30 mil m2, pátio com 11 posições para aeronaves comerciais simultâneas, sendo seis em ponte de embarque;

A nova capacidade vai permitir atender a 8,4 milhões de passageiros por ano. Hoje, são 3,2 milhões.

 

Ver comentários