Notícia

Exportação de café pelo Espírito Santo encolhe 25% em 2017

A boa notícia é que os preços melhoraram, o que possibilitou a manutenção da receita, mesmo com a forte queda nas vendas para fora

O volume de café exportado por empresas e portos capixabas segue em queda. De acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, o Espírito Santo exportou um volume de café 25% menor de janeiro a agosto de 2017. Enquanto que no mesmo período de 2016 o Espírito Santo vendeu 76.229 toneladas, neste ano, o número foi de 56.810 toneladas.

Na avaliação do presidente do Centro de Comércio de Café de Vitória (CCCV), Jorge Nicchio, o volume maior de chuvas registrado no fim do ano passado e início deste ano, período de desenvolvimento dos cafezais, gerou uma expectativa de recuperação no mercado de café capixaba, o que não aconteceu.

“Este já é o terceiro ano de produções menores, o que nos deixa mais longe da safra de 2014, quando foram produzidas 15 milhões de sacas e registramos o recorde estadual. A colheita deste ano já se encerrou e o que conversamos com os produtores é de que a safra não foi tão boa. Para o ano que vem, se o clima não piorar e ficar mais árido, deveremos ter uma safra melhor”, estima.

O impacto na economia só não foi maior porque o preço das sacas de café melhoraram. Mesmo com uma queda de 25% no volume, a receita de 2017 foi de US$ 154 milhões, US$ 2 milhões a menos do que a registrada no mesmo período do ano anterior, quando a exportação rendeu US$ 156 milhões para o mercado capixaba. Ou seja, em termos de receita uma queda bem menor: -1,24%.

Cenário nacional

Segundo maior produtor de café do país, o revés capixaba também reflete na exportação do produto no cenário nacional. Segundo dados do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil, a exportação tanto do café verde como do industrializado tiveram uma queda de 22% entre janeiro a agosto de 2017, na comparação com o mesmo período de 2016.

Entre agentes do mercado a informação é de que os cafeicultores estão segurando a oferta de café, por conta da insatisfação com o preço da saca. Em relatório divulgado nesta terça-feira (12) pela Organização Internacional do Café (OIC) foi observado que enquanto os embarques do Brasil e do Vietnã caíram, os da Colômbia e da Indonésia avançaram em julho.

Nos primeiros 10 meses do ano-safra internacional, que vai de outubro de 2016 a julho de 2017), as exportações mundiais de café somaram 101,93 milhões de sacas, 5,9% acima de igual período do ano anterior.

Ver comentários