Notícia

Autoridades japonesas continuam buscas por marinheiros desaparecidos

De acordo com a autoridade japonesa, acredita-se que estes marinheiros tenham sido lançados ou mar ou estejam presos em partes danificadas da embarcação

O navio da marinha americana, USS Fitzgerald é visto na base naval americana de Yokosuka, sudeste de Tóquio, Japão. A guarda costeira do Japão continua as buscas neste sábado, 17, pelos sete marinheiros norte-americanos desaparecidos no litoral japonês
O navio da marinha americana, USS Fitzgerald é visto na base naval americana de Yokosuka, sudeste de Tóquio, Japão. A guarda costeira do Japão continua as buscas neste sábado, 17, pelos sete marinheiros norte-americanos desaparecidos no litoral japonês
Foto: UGENE HOSHIKO/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

A guarda costeira do Japão continua as buscas neste sábado (17) pelos sete marinheiros norte-americanos desaparecidos no litoral japonês, após um destroier da marinha dos Estados Unidos ter colidido com um navio mercante filipino a sudeste de Yokosuka, ao sul de Tóquio.

De acordo com a autoridade japonesa, acredita-se que estes marinheiros tenham sido lançados ou mar ou estejam presos em partes danificadas da embarcação.

TO navio da marinha americana, USS Fitzgerald é visto na base naval americana de Yokosuka, sudeste de Tóquio, Japão. A guarda costeira do Japão continua as buscas neste sábado, 17, pelos sete marinheiros norte-americanos desaparecidos no litoral japonês
TO navio da marinha americana, USS Fitzgerald é visto na base naval americana de Yokosuka, sudeste de Tóquio, Japão. A guarda costeira do Japão continua as buscas neste sábado, 17, pelos sete marinheiros norte-americanos desaparecidos no litoral japonês
Foto: UGENE HOSHIKO/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O destroier USS Fitzgerald já retornou a seu porto de origem, na base naval de Yokosuka, ao sul de Tóquio. A embarcação foi amplamente danificada do lado direito, abaixo da linha do mar, segundo comunicado da 7ª frota dos EUA. Além de dois compartimentos, foram atingidas as salas de máquinas e de rádio. A maioria dos cerca de 200 marinheiros a bordo estavam dormindo na hora do acidente.

Ainda de acordo com o comunicado, a água estava sendo bombeada para fora das áreas inundadas. Os nomes dos marinheiros desaparecidos não foi divulgado pela marinha dos EUA, que aguarda autorização das famílias.

Durante o resgate da tripulação, três feridos, entre eles o capitão do destroier, o comandante Bryce Benson, foram transportados em uma avião para o Hospital Naval dos EUA em Yokosuka. O estado de saúde de Benson é estável. A situação dos demais não foi informada.

Os 20 membros tripulação do navio mercante filipino não ficaram feridos, de acordo com a empresa japonesa de navegação Nippon Yusen K.K. A embarcação foi atracada no cais do porto do Tóquio, onde autoridades japonesas começaram a interrogar integrantes da tripulação sobre as causas da colisão. Fonte: Associated Press.