Notícia

Explosão em shopping de Bogotá mata jovem francesa e deixa 11 feridos

Testemunhas disseram que foram retiradas dos cinemas e das lojas depois de uma explosão em um banheiro no segundo andar

Equipes de resgate e oficiais da Polícia são vistos na entrada de um Shopping Andino, no norte de Bogotá, capital da Colômbia, que deixou ao menos 11 pessoas feridas, neste sábado
Equipes de resgate e oficiais da Polícia são vistos na entrada de um Shopping Andino, no norte de Bogotá, capital da Colômbia, que deixou ao menos 11 pessoas feridas, neste sábado
Foto: Ricardo Mazalan

Uma forte explosão abalou um dos shopping centers mais movimentados de Bogotá neste sábado (17), matando uma francesa de 23 anos e ferindo 11 pessoas, afirmaram autoridades. Testemunhas disseram que foram retiradas dos cinemas e das lojas depois de uma explosão em um banheiro no segundo andar. Os feridos foram levados para um hospital. O prefeito de Bogotá, Enrique Penalosa, classificou o incidente no shopping Centro Andino, que fica no distrito turístico de Bogotá, como um "atentado terrorista covarde".

Segundo ele, a jovem francesa estava havia seis meses na Colômbia trabalhando como voluntária em um bairro pobre, e se preparava para voltar à França nos próximos dias. Dos 11 feridos, três sofreram ferimentos graves, disse.

Equipes de resgate e oficiais da Polícia são vistos na entrada de um Shopping Andino, no norte de Bogotá, capital da Colômbia, que deixou ao menos 11 pessoas feridas, neste sábado
Equipes de resgate e oficiais da Polícia são vistos na entrada de um Shopping Andino, no norte de Bogotá, capital da Colômbia, que deixou ao menos 11 pessoas feridas, neste sábado
Foto: Ricardo Mazalan

Autoridades voltaram suas atenções imediatamente ao maior grupo rebelde ainda ativo do país, o Exército de Libertação Nacional (ELN), que em fevereiro reivindicou a autoria de um atentado a bomba que matou um policial e feriu outras 20 pessoas.

No ano passado, o governo chegou a um acordo de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, que era muito maior do que o ELN. O ELN também está envolvido em negociações de paz, mas até agora se recusa a entregar suas armas. Alguns analistas atribuem o aumento da violência nas cidades colombianas ao desejo do grupo de obter concessões do governo na mesa de negociações.

A segurança em Bogotá teve uma melhora significativa na última década, e o shopping center parecia um alvo difícil. Todos os veículos que entram na garagem são checados por cães farejadores de bombas e há guardas de segurança em todo o shopping.

Em mensagem postada no Twitter, o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, prestou solidariedade às vítimas. Fonte: Associated Press.