Notícia

Polícia trata atropelamento em Londres como terrorismo

Van avançou sobre fiéis na região de Finsbury Park, no norte de Londres. Uma pessoa foi presa

Policiais trabalham nas imediações da Mesquita Finsbury Park, no norte de Londres, após atropelamento nesta segunda-feira, 19
Policiais trabalham nas imediações da Mesquita Finsbury Park, no norte de Londres, após atropelamento nesta segunda-feira, 19
Foto: VICTORIA JONES/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

A polícia trata como terrorismo o atropelamento que terminou com uma pessoa morta e dez feridas perto de uma mesquita em Finsbury Park, no norte de Londres, na madrugada desta segunda-feira (19). O motorista foi contido pela população e preso pela polícia.

"Estamos mantendo a mente aberta. A ação está sendo tratada como um ataque terrorista e o Comando contra o Terrorismo está investigando", disse Neil Basu, o coordenador da polícia anti-terrorismo, segundo a rede americana CNN.

Policiais trabalham nas imediações da Mesquita Finsbury Park, no norte de Londres, após atropelamento nesta segunda-feira, 19
Policiais trabalham nas imediações da Mesquita Finsbury Park, no norte de Londres, após atropelamento nesta segunda-feira, 19
Foto: VICTORIA JONES/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O motorista jogou o carro sobre fiéis que deixavam uma mesquita à 0h20 (horário local, 20h20 de domingo em Brasília). Durante o Ramadã, mês sagrado para os muçulmanos, os fiéis jejuam do alvorecer até o anoitecer e costumam rezar até a madrugada.

Dos dez feridos, dois foram atendidos no local com ferimentos leves e oito foram hospitalizados. Dois estão internados em estado grave, segundo a polícia. Todas as vítimas são muçulmanas.

Um homem que já recebia atendimento no local antes do atropelamento morreu e a polícia ainda não sabe dizer se a morte foi provocada pelo choque com a van.

"O ataque ocorreu quando o homem já estava recebendo primeiros socorros no local. Infelizmente esse homem morreu. Qualquer ligação causal entre sua morte e o ataque fará parte da investigação. Mas é muito cedo para dizer se a sua morte foi resultado desse ataque", afirmou Basu.

Abdul Rahman, que ajudou a deter o suspeito, disse à BBC que ele afirmou que queria "matar todos os muçulmanos". A polícia não divulgou a identidade do suspeito detido, mas informou que se trata de um homem de 48 anos que foi levado para um hospital para uma avaliação de saúde mental.

Islamofobia

O conselho muçulmano britânico (Muslim Council of Britain, em inglês) emitiu um comunicado em que "aparentemente, segundo relatos de testemunhas, o autor foi motivado por islamofobia".

Segundo o documento, assinado pelo secretário-geral do conselho, Harun Khan, "nas últimas semanas e meses, muçulmanos enfrentaram muitos incidentes de islamofobia, e esta foi a manifestação mais violenta até o momento".

O grupo alerta sobre o fim do mês do Ramadã para pedir que "as autoridades aumentem a segurança do lado de fora das mesquitas urgentemente".

O prefeito de Londres, Sadiq Khan, afirmou que policiamento extra será enviado para proteger comunidades e que o atropelamento de Finsbury Park foi um ataque nos valores de tolerância, liberdade e respeito. Sadiq Khan, que é muçulmano, chamou o atropelamento "terrível ataque terrorista".

Ataques recentes

O Reino Unido enfrentou uma série de ataques terroristas recentemente. No mês passado, uma explosão de bomba deixou 22 mortos e dezenas de feridos na saída de show da cantora Ariana Grande, na cidade de Manchester.

No início deste mês, outro ataque terrorista deixou dez mortos, entre eles sete vítimas e três suspeitos, que usaram uma van para atropelar pedestres na London Bridge e depois armas brancas para esfaquear pessoas no Borough Market.

Ver comentários