Notícia

Moradores madrugam para conseguir atendimento médico em Linhares

Por volta das 5 horas desta quinta-feira (20), já havia fila no posto de saúde do bairro Novo Horizonte

Moradores aguardavam na escuridão a abertura do portão da unidade de saúde do bairro Novo Horizonte, em Linhares
Moradores aguardavam na escuridão a abertura do portão da unidade de saúde do bairro Novo Horizonte, em Linhares
Foto: Reprodução TV Gazeta Norte

Moradores precisam chegar de madrugada às unidades de saúde para conseguir atendimento médico em Linhares, Norte do Estado. Por volta das 5 horas desta quinta-feira (20), já havia fila no posto de saúde do bairro Novo Horizonte. Sete moradores do bairro aguardavam na escuridão o portão da unidade ser aberto.

A situação foi denunciada pela TV Gazeta Norte. O auxiliar de terraplanagem Enilto Zuliane era o primeiro da fila. Ele disse que chegou às 4h30. "Só assim para conseguir uma consulta. Só assim mesmo. É difícil. Tem vez que a gente nem consegue", afirmou.

Atrás dele, estava a aposentada Amélia Denoni, que carregava um terço nas mãos. "Quantas vezes que a gente vem aqui de madrugada. Fico sozinha aqui. Já vim muitas vezes. Dá um pouco de medo. Eu vim rezando o terço".

A aposentada Amélia Denoni aguardava com um terço nas mãos
A aposentada Amélia Denoni aguardava com um terço nas mãos
Foto: Reprodução TV Gazeta Norte

A pescadora Jonáta Ribeiro disse que é preciso chegar de madrugada para conseguir ficha. "Cheguei a vir e não consegui agendar nem uma vez. Aí eu falei: 'agora eu vou madrugar, é a única opção que eu tenho, porque se não não vou conseguir'. Quando chegava a minha vez, acabava a ficha".

A reportagem também percorreu os postos de saúde dos bairros Novo Horizonte, Aviso, Araçá e Planalto. Em todas as unidades, havia fila.

Falta de médicos

Na unidade do Aviso, moradores chegaram antes de o dia amanhecer e a fila era maior. Eles disseram que ficaram sem médico por pelo menos um mês. "Consegui agendar a consulta para quinta-feira. A gente ficou mais de um mês sem médico", disse a doméstica Elizete Gonçalves.

Na unidade do Aviso, a fila de moradores era maior que a do posto do bairro Novo Horizonte
Na unidade do Aviso, a fila de moradores era maior que a do posto do bairro Novo Horizonte
Foto: Reprodução TV Gazeta Norte

Ao saber que havia médico na unidade, a manicure Cássia Selene da Silva também chegou cedo para tentar conseguir atendimento. "Estou desde às 4 horas da manhã na fila esperando e mais de mês tentando uma vaga. Não tinha médico e agora que apareceu tem que correr e vir para cá de madrugada".

De acordo com moradores que aguardavam atendimento no posto de saúde do bairro Planalto, também não havia médicos na unidade até a semana passada. "Teve um dia que eu vim com a minha filha queimando em febre e não consultaram ela. Não tinha ninguém para atender ela, nem enfermeiro", contou a dona de casa Eroína Fernandes.

A coordenadora da unidade de saúde do bairro Planalto, enfermeira Cíntia Sodré Rigoni, garantiu que há dois médicos atendendo normalmente.

O secretário de saúde Valdir Massucatii disse que irá contratar mais profissionais da saúde. “Nós estamos reorganizando toda nossa rede. Assumimos há quase quatro meses. Tivemos problemas de demissão de médicos também. Temos 60 médicos nos nosso quadro de profissionais. O que nos aflige é que, pelo momento que o país está passando, muitas pessoas perderam seus empregos e planos planos de saúde e a demanda cresceu muito. Iremos fazer um processo seletivo para contratar mais profissionais de saúde, porque essa situação nos incomoda muito”.

Com informações de Ariele Rui (TV Gazeta Norte)