Notícia

Polícia procura servidora acusada de matar secretário de Itapemirim

Carla Rogéria Ribeiro Lima, 46 anos, cometeu o crime após ficar insatisfeita por perder o cargo de diretora da Defesa Civil

Carla Rogéria Ribeiro Lima, 46 anos, é acusada de matar o secretário José Mauro Sales
Carla Rogéria Ribeiro Lima, 46 anos, é acusada de matar o secretário José Mauro Sales
Foto: Montagem | Gazeta Online

A servidora da Prefeitura de Itapemirim, Carla Rogéria Ribeiro Lima, 46 anos, é acusada de assassinar o secretário de Gerência-Geral de Itapemirim, José Mauro Sales Penha, de 58 anos. Ela está foragida. A vítima foi executada com seis tiros no início de setembro, dentro da casa onde morava, no distrito de Itaoca.

Segundo o delegado Djalma Pereira Lemos, que investiga o caso, Carla, que possui o cargo de telefonista na prefeitura, e que anteriormente ao crime vinha exercendo a função de diretora da Defesa Civil municipal, foi exonerada desse cargo dias antes do crime.

Além de ficar insatisfeita por perder o cargo de diretora, outra motivação para o crime seria o fato de que o marido de Carla, que tem uma empresa de pirotecnia (fogos de artifício), perdeu contratos com a administração municipal, e o secretário estaria impedindo que essa empresa participasse de novas licitações.

O marido da acusada e o enteado foram ouvidos pela polícia no início da semana e disseram que, dias antes, Carla estava bastante perturbada e chegou a dizer que iria matar o secretário, mas niguém acreditou que ela cometeria o crime.

Carla foi até a casa da vítima com um revólver calibre 38 e, após uma discussão, atirou em José Mauro. A polícia chegou até a autora do crime depois que analisou as imagens de câmeras de segurança. Nas imagens, foi possível ver que a acusada chegou até a residência da vítima de táxi.

A polícia conseguiu identificar o taxista, que prestou o depoimento e entregou Carla. O taxista disse que deixou ela na casa da vítima, ficou esperando, ouviu os disparos e a servidora voltou para o veículo dizendo que tinha matado o secretário. O taxista disse que não teve coragem de procurar a polícia antes pois também ficou com medo de morrer.

A prisão preventiva de Carla foi decretada nesta terça-feira. Depois do crime, ela arrumou as coisas em uma mala e viajou.

O crime

O secretário de Gerência-Geral de Itapemirim, José Mauro Sales Penha, de 58 anos, foi executado com seis tiros na noite de domingo (03) na porta de casa no distrito de Itaoca, Litoral Sul do Estado.

Vizinhos chegaram a escutar os disparos, mas o corpo de José Mauro só foi encontrado uma hora após o crime. A motivação e autoria do assassinato ainda são desconhecidas.

José Mauro morava sozinho. De acordo com a Polícia Militar, as pessoas que moravam próximo a casa dele contaram que ouviram disparos de arma de fogo por volta das 21h30.

O secretário foi atingido por seis disparos, sendo dois de frente e outras quatro por trás. 

Na porta da sala e na parede da garagem haviam marcas de sangue. Ainda segundo a PM, mesmo ferido, José Mauro tentou escapar e deu alguns passos, mas caiu na frente da garagem, próximo ao carro.