Notícia

Mãe de santo fez 'trabalho' contra Lava Jato a pedido de mulher de operador de Sérgio Cabral

A PF descobriu o caso ao recuperar conversas, feitas pelo WhatsApp, entre Michele e a mãe de santo, identificada como Neide

Michele dos Santos Linhares, mulher do agente fazendário Ary Filho - preso, em fevereiro, pela Operação Mascate -, pediu que uma mãe de santo, da Baixada Fluminense, fizesse um "trabalho" contra integrantes da Operação Lava-Jato do Rio. A informação está no Relatório de análise de material apreendido 09/2017, assinado pelo delegado da Polícia Federal, Fernando Maia Menezes. Ary Ferreira da Costa Filho é apontado pelo Ministério Público Federal (MPF) como um dos principais operadores financeiros do esquema chefiado pelo ex-governador Sérgio Cabral.

A PF descobriu o caso ao recuperar conversas, feitas pelo WhatsApp, entre Michele e a mãe de santo, identificada como Neide.
A PF descobriu o caso ao recuperar conversas, feitas pelo WhatsApp, entre Michele e a mãe de santo, identificada como Neide.
Foto: Reprodução

A PF descobriu o caso ao recuperar conversas, feitas pelo WhatsApp, entre Michele e a mãe de santo, identificada como Neide. Segundo o relatório, Michele tinha o costume de se consultar com a religiosa. O celular dela, além de outros pertences, foram apreendidos no apartamento do casal, no condomínio Atlântico Sul, na Barra da Tijuca, em 2 de fevereiro passado.

Um dia antes da Operação Mascate - que prenderia Ary -, ela mandou fotos e os nomes dos investigadores responsáveis pela Operação Calicute. E enviou ainda outros cinco nomes, que, segundo a mulher de Ary, eram de pessoas que "querem prejudicar". Entre eles, o do ex-governador Anthony Garotinho e de dois jornalistas.

A PF desconfia que eles estavam sendo informados sobre as investigações da Lava-Jato. No relatório, o delegado da PF registra que estranha a aflição que sobreveio à Michele "nos dias próximos a deflagração da operação, bem como a saída do casal Ary e Michele de sua residência na madrugada da deflagração, frustrando momentaneamente a prisão do mesmo".