Notícia

Janot achou que era "mentira" revelação de Joesley sobre Temer

O procurador diz ter ficado incrédulo, porque depois de três anos e meio da Lava Jato, "é inacreditável que a prática da corrupção continue aberta"

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse nesta segunda-feira (17), que achou que fosse “mentira” a denúncia do empresário Joesley Batista, da JBS, sobre suposto esquema envolvendo o presidente Michel Temer.

Janot contou que os delatores da JBS exibiram algumas gravações “em que realmente comprovavam ali o cometimento de crimes desses altos dignatários da República”
Janot contou que os delatores da JBS exibiram algumas gravações “em que realmente comprovavam ali o cometimento de crimes desses altos dignatários da República”
Foto: Dida Sampaio/AE

Nos Estados Unidos, onde participa de um evento no Woodrow Wilson Center, sobre o uso dos acordos de colaboração premiada na promoção de Justiça e do Estado de Direito no Brasil, Janot contou aos americanos sua primeira reação ao receber detalhes do esquema de corrupção supostamente liderado pelo presidente.

> Uso de avião da JBS complica situação de Temer, avalia Planalto

“Minha primeira reação foi dizer: ‘isso é mentira, não acredito que isso esteja acontecendo, não pode acontecer, depois de três anos e meio da Lava Jato, com esses números (de prisões e condenações), é inacreditável que a prática (da corrupção) continue aberta’.”

> JBS fecha acordo de leniência com MP e irá pagar R$ 10,3 bilhões

Janot contou que os delatores da JBS exibiram algumas gravações “em que realmente comprovavam ali o cometimento de crimes desses altos dignatários da República”.

Uma gravação apresentada à Procuradoria-Geral da República revela diálogo de Joesley com Temer.

> 15 políticos do ES receberam mais de R$ 1 milhão da JBS em 2014

Ver comentários